Efeito de extratos aquosos de Azadirachta indica, Melia azedarach e Aspidosperma pyrifolium no desenvolvimento e oviposição de Plutella xylostella

Carregando...
Imagem de Miniatura

Data

2006-01-01

Autores

Torres, Adalci Leite [UNESP]
Boiça Júnior, Arlindo Leal [UNESP]
Medeiros, Cesar Augusto Manfré [UNESP]
Barros, Reginaldo

Título da Revista

ISSN da Revista

Título de Volume

Editor

Instituto Agronômico de Campinas

Resumo

Foram avaliados a CL50 e o efeito de extratos aquosos de plantas na biologia, oviposição e período embrionário de Plutella xylostella L. (Lepidoptera: Plutellidae). Para determinação da CL50 foram utilizadas concentrações entre 0,03 e 0,8 % para amêndoas de Azadirachta indica (A. Juss.) 0,5 e 7,0 % para casca de Aspidosperma pyrifolium (Mart.) e 0,5 e 12,5 % para frutos de Melia azedarach (L.), obtendo-se as CL50 de 0,06; 2,17 e 2,90%, respectivamente. Verificou-se que os extratos aquosos de todas as espécies vegetais afetaram o desenvolvimento do inseto, principalmente na fase larval. Na fase de pupa, os extratos reduziram a massa e a viabilidade. Houve deformação de adultos para os extratos de A. pyrifolium e M. azedarach e o de A. indica causou maior porcentagem. Todos os extratos possuem efeito tóxico para ovos de P. xylostella, sendo dependente do aumento da concentração. Nos extratos da casca de A. pyrifolium, do fruto de M. azedarach e da amêndoa de A. indica observa-se ação ovicida quando usados na concentração letal de lagartas de primeiro ínstar da praga. em observações do ovo de P. xylostella com auxílio de um microscópio eletrônico de varredura, verificou-se a existência de microporos onde pode ocorrer a penetração do produto ovicida, além da constatação da textura rugosa da casca do ovo que pode reter ou fixar os extratos.
The effects of aqueous extracts of plants on the biology, preference for oviposition and embryonic period of Plutella xylostella were evaluated. Concentrations between 0.03 and 0.8 % for kernel of Azadirachta indica, 0.5 and 7.0% for peel of Aspidosperma pyrifolium and 0.5 and 12.5% for fruits of Melia azedarach were used, with LC50 values of 0.06; 2.17 and 2.90%, respectively, being obtained. It was verified that the aqueous extracts of all of the appraised vegetable species affected the development of the insect, mainly in the larval phase. In the pupae phase, the extracts reduced the weight and the viability. There was adults' deformation for the extracts of A. pyrifolium and M. azedarach, being it of A. indica what caused larger percentage. Toxics effects on the eggs of P. xylostella were observed for all extracts. The extracts from A. pyrifolium (peel); M. azedarach (fruit) and A. indica (kernel) presented ovicide action in the lethal concentration of caterpillars at first instar of the pest. Observations of P. xylostella eggs with the aid of an electronic microscope showed presence of microspore, revealing ovicide action, besides wrinkled texture of the eggs peel retaining the extracts.

Descrição

Palavras-chave

Insecticide plants, Diamondback moth, Cruciferae, plantas inseticidas, Traças das crucíferas, Brássicas

Como citar

Bragantia. Instituto Agronômico de Campinas, v. 65, n. 3, p. 447-457, 2006.