Moralidade e gênero na concepção de crianças da educação infantil: uma intervenção que valoriza a oralidade e a criatividade

Carregando...
Imagem de Miniatura

Data

2020-03-03

Autores

Alves, Hildinéia

Título da Revista

ISSN da Revista

Título de Volume

Editor

Universidade Estadual Paulista (Unesp)

Resumo

Uma educação repressora, desigual e machista, que impõe modelos educacionais distintos para meninas e meninos, pode contribuir com a reprodução de relações de gênero desiguais e uma educação heterônima que, ao serem naturalizadas, ocultam o processo histórico do qual se originam e, consequentemente, a possibilidade de sua desconstrução e transformação social. Esse tipo de relação pode dificultar o desenvolvimento autônomo de algumas crianças, porque na Educação Infantil elas ainda não sabem diferenciar sociabilidade e individualidade, pois estão centradas no ponto de vista delas mesmas ao que Piaget denomina egocentrismo. Este trabalho teve como laboratório de experiências a própria sala de aula, por meio de observações acerca das questões morais e das relações de gênero no cotidiano escolar, na Educação Infantil em uma escola pública do interior do Estado de São Paulo. Nesse contexto esta pesquisa parte do seguinte questionamento: A Moralidade e as relações de gênero trabalhadas de forma planejada em uma intervenção de pesquisa por meio de uma sequência didática, pode contribuir para identificarmos o que as crianças pensam sobre o juízo moral e as questões de gênero? Os objetivos dessa dissertação foram, identificar as concepções das crianças sobre gênero e moralidade, de modo a reconstruir a realidade de uma escola de Educação Infantil por meio da oralidade dos sujeitos que dela participam e a modificam. Teve por objetivo também, a elaboração de um Produto Educacional em formato de livro interativo digital, para valorizar a oralidade e a criatividade infantil, além de possibilitar atitudes menos preconceituosas. Para tanto, foi elaborada e aplicada uma sequência didática como proposta de intervenção. A metodologia adotada na pesquisa teve caráter qualitativo, haja vista que fez um recorte de uma realidade escolar da Educação Infantil, utilizando referencial teórico de Jean Piaget, Josep Maria Puig, Guacira Lopes Louro, Bernadete Gatti, entre outros. Para delinear o estudo, a técnica utilizada foi o grupo focal, que além de permitir a aplicação da proposta de intervenção, oportuniza também, identificar as concepções das crianças sobre moralidade e gênero, por meio da promoção de momentos de reflexão, dentro de um processo educacional para a emancipação. Com base nos resultados foi constatado que os diálogos produzidos pelas crianças refletem o momento de seu desenvolvimento psíquico, suas vivências e experiências de vida, além do cuidado que essas crianças demandam. Verificou-se que a técnica do grupo focal se configura como um meio de obter a oralidade da criança, valorizando a participação ativa e criativa desses sujeitos. Em relação a moralidade e gênero, o discurso das crianças se manteve direcionado às suas histórias e relatos de vida, sem o aprofundamento do processo mais complexo que os envolvem. Constatou-se, também, que no cotidiano escolar a coação e as relações unilaterais continuam porque o adulto não se refez, apenas reproduz atos. Uma possibilidade de transformação desta prática está no aprendizado da relação de cooperação, reciprocidade e respeito mútuo entre meninas e meninos sem diferenciação de gênero
A repressive, unequal and sexist education, which imposes distinct educational models for girls and boys, can contribute to the reproduction of unequal gender relations and a heteronymous education that, when naturalized, hide the historical process from which they originate and, consequently, the possibility of its deconstruction and social transformation. This type of relationship can hinder the autonomous development of some children, because in Early Childhood Education they still do not know how to differentiate sociability and individuality, as they are centered on their point of view to what Piaget calls egocentrism. This work had as a laboratory of experiences the classroom itself, through observations about moral issues and gender relations in the school routine, in Early Childhood Education in a public school in the state of São Paulo. In this context, this research starts from the following question: Morality and gender relations worked in a planned way in a research intervention through a didactic sequence, can contribute to identify what children think about moral judgment and gender issues ? The objectives of this dissertation were to identify the children's conceptions about gender and morality, in order to reconstruct the reality of an early childhood school through the orality of the subjects who participate in it and modify it. It also had the objective of creating an Educational Product in the form of an interactive digital book, to enhance children's orality and creativity, in addition to enabling less prejudiced attitudes. For that, a didactic sequence was elaborated and applied as an intervention proposal. The methodology adopted in the research had a qualitative character, given that it made an outline of a school reality of Early Childhood Education, using the theoretical framework of Jean Piaget, Josep Maria Puig, Guacira Lopes Louro, Bernadete Gatti, among others. To outline the study, the technique used was the focus group, which in addition to allowing the application of the intervention proposal, also makes it possible to identify the children's conceptions about morality and gender, by promoting moments of reflection, within a process education for emancipation. Based on the results, it was found that the dialogues produced by the children reflect the moment of their psychic development, their life experiences, as well as the care that these children demand. It was found that the focus group technique is configured as a means of obtaining the child's orality, valuing the active and creative participation of these subjects. Regarding morality and gender, the children's discourse remained directed to their life stories and reports, without deepening the more complex process that involves them. It was also found that in school life coercion and unilateral relationships continue because the adult does not recover, only reproduces acts. One possibility of transforming this practice lies in learning the relationship of cooperation, reciprocity and mutual respect between girls and boys without gender differentiation.

Descrição

Palavras-chave

Gênero., Moralidade, Educação Infantil, Gender, Morality, Child education

Como citar