Ação de bioestimulantes na mitigação dos efeitos do défice hídrico na cultura da soja

Carregando...
Imagem de Miniatura

Data

2023-02-24

Autores

Kühn, Irineu Eduardo [UNESP]

Título da Revista

ISSN da Revista

Título de Volume

Editor

Universidade Estadual Paulista (Unesp)

Resumo

Os obstáculos a serem superados para alcançar as altas produtividades na cultura da soja são muitos, como pragas, doenças e manejo de plantas daninhas. Entretanto, o principal é a falta de água para as plantas durante o ciclo de cultivo. A maior parte da soja nacional é produzida em cultivo sequeiro, o qual depende da disponibilidade de águas pluviais. As áreas tradicionais de cultivo frequentemente sofrem com veranicos e estiagens, afetando a produtividade. Para minimizar estes efeitos, algumas pesquisas começaram a estudar substâncias orgânicas e inorgânicas, além de microrganismos que podem atenuar os efeitos de estresses e, consequentemente, a garantia da produção vegetal. Tais substâncias e microrganismos foram denominados bioestimulantes e são compostos por elementos benéficos. Entre esses, destacam-se extratos de algas, fungos, substâncias húmicas, bactérias benéficas, e elementos minerais, os quais tem mostrado eficiência na mitigação dos efeitos negativos de estresses físicos, biológicos e a deficiência hídrica. Esta pesquisa, buscou-se avaliar o efeito dos bioestimulantes em plantas de soja submetidos ao défice hídrico. O delineamento experimental foi em parcelas subdivididas, com duas lâminas de irrigação e oito tratamentos compostos por bioestimulantes e 4 repetições. Nas parcelas foram aplicados os tratamentos hídricos na forma de lâminas de irrigação: capacidade de campo e défice hídrico; nas subparcelas foram organizados os tratamentos com bioestimulantes (B1 a B8): Bacillus pumilus, B. subtilis, B. amyloliquefaciens e Rodopseudomonas palustres (B1), Rizophagus irregulares (B2), Lactobabillus rhamnosus e L. farciminis (B3), Silício (B4), L. calcareum e substâncias húmicas (B5), Bacillus subtilis (B6), Ascophylum nodosum (B7), Controle (B8). Foram realizadas avaliações morfológicas e fisiológicas e de produção de grãos. Os bioestimulantes compostos por Silício e Rhizophagus irregularis apresentaram os melhores resultados para a mitigação dos efeitos do défice hídrico. Os bioestimulantes aplicados resultaram em efeito benéfico tanto para amenizar a deficiência hídrica, quanto para contribuir no aumento da produção de grãos em condição ideal de umidade do solo.
There are many obstacles to be overcome to achieve high yields in soybeans, such as pests, diseases and weed management. However, the main thing is the lack of water for the plants during the growing cycle. Most of the national soy is produced in rainfed cultivation, which depends on the availability of rainwater. Traditional cultivation areas often suffer from dry spells and dry spells, affecting productivity. To minimize these effects, some research began to study organic and inorganic substances, as well as microorganisms that can mitigate the effects of stress and, consequently, the guarantee of plant production. Such substances and microorganisms were called biostimulants and are composed of beneficial elements. Among these, extracts of algae, fungi, humic substances, beneficial bacteria, and mineral elements stand out, which have shown efficiency in mitigating the negative effects of physical and biological stress and water deficiency. This research sought to evaluate the effect of biostimulants on soybean plants subjected to water deficit. The experimental design was in split plots, with two irrigation depths and eight treatments composed of biostimulants and 4 replications. Water treatments were applied in the plots in the form of water management: field capacity and water deficit; The treatments with biostimulants (B1 to B8) were organized in the subplots: Bacillus pumilus, B. subtilis, B. amyloliquefaciens and Rodopseudomonas palustres (B1), Rizophagus irregulares (B2), Lactobabillus rhamnosus and L. farciminis (B3), Silicon (B4 ), L. calcareum and humic substances (B5), Bacillus subtilis (B6), Ascophylum nodosum (B7), Control (B8). Morphological and physiological evaluations and grain production were carried out. Biostimulants composed of Silicon and Rhizophagus irregularis showed the best results for mitigating the effects of water deficit. The applied biostimulants resulted in a beneficial effect both to alleviate the water deficit and to contribute to the increase in grain production in ideal soil moisture conditions.

Descrição

Palavras-chave

tolerância à seca, microrganismos benéficos, mitigação do estresse hídrico, drought tolerance, beneficial microorganisms, mitigation of water stress

Como citar