Dinâmica de transposição de herbicida através de palha de aveia-preta utilizando diferentes pontas de pulverização

Imagem de Miniatura

Data

2004-12-01

Autores

Costa, A.G.F. [UNESP]
Maciel, C.D.G. [UNESP]
Velini, Edivaldo Domingues [UNESP]
Ikeda, F.S. [UNESP]

Título da Revista

ISSN da Revista

Título de Volume

Editor

Sociedade Brasileira da Ciência das Plantas Daninhas

Resumo

A transposição da palha por herbicidas aplicados em pré ou pós-emergência durante a aplicação é determinante na sua eficiência, dinâmica e impacto ambiental. O experimento foi conduzido no Núcleo de Pesquisas Avançadas em Matologia - FCA/UNESP, campus de Botucatu-SP, tendo como objetivo avaliar o desempenho de diferentes modelos de pontas de pulverização na transposição em quantidades crescentes de palha de aveia-preta (Avena strigosa). Os tratamentos foram constituídos pelo monitoramento do traçador corante Azul Brilhante (FDC-1) a 3.000 ppm, pulverizado com as pontas de pulverização XR11002-VS, TJ60-11002VS, FL-5VS, DG11002-VS, TXVK-8, TT11002-VP e AI11002-VS, utilizando, respectivamente, as pressões de trabalho de 1,4; 2,0; 1,5; 2,0; 4,9; 3,0 e 3,0 kgf cm² e volume de calda de 200, 200, 428, 200, 213 e 270 L ha-1 sobre quantidades de 0, 1, 2, 4, 6, 8, 10 e 12 t ha-1 de palha de aveia-preta. O delineamento utilizado foi o inteiramente casualizado, com sete tratamentos e cinco repetições, as quais foram constituídas de caixas plásticas com palha acondicionada sobre um fundo falso de área conhecida, sendo este lavado após as aplicações, para posterior quantificação do traçador em espectrofotometria. O modelo de Mitscherlich simplificado (Y = 10 ^ (2 - (C*X))) mostrou ajuste satisfatório para os dados originais de traçador que transpôs a palha, apresentando coeficientes de determinação (R²) elevados, oscilando entre 0,9782 e 0,9971. Todos os modelos de pontas de pulverização mostraram-se similares na transposição da palha pelo traçador. As porcentagens médias de transposição foram de 43,00; 18,77; 3,73; 0,78; 0,17; 0,04 e 0,01% para as quantidades de 1, 2, 4, 6, 8, 10 e 12 t ha-1 de palha, respectivamente.
Straw crossing by pre- or post-emergence herbicide application determines its effectiveness, dynamics and environmental impact. The trial was carried out at NuPAM - FCA/UNESP, Botucatu Campus, São Paulo, Brazil, to evaluate the performance of different nozzle models in crossing increasing amounts of black oat (Avena strigosa) straw. The treatments consisted of monitoring Brilliant Blue (FDC-1) tracer dye at 3.000 ppm, sprayed with nozzles XR11002-VS; TJ60-11002VS; FL-5VS; DG11002-VS; TXVK-8; TT11002-VP and AI11002-VS, at work pressures 19.9; 28.4; 21.3; 28.4; 69.7; 42.7 and 42.7 PSI, respectively; and mix volumes 200; 200; 428; 200; 213 and 270 L ha-1; on 0, 1, 2, 4, 6, 8, 10 and 12 t ha-1 of black oat straw. The experimental design was entirely randomized with seven treatments and five replications, constituted by plastic boxes packed with straw over a fake bottom of known area, washed after the applications, for posterior tracer quantification by spectrophotometry. The Simplified Mitscherlich model (Y = 10 ^ (2 - (C*X))) showed a satisfactory adjustment for the tracer original data crossing the straw, presenting high determination coefficients (R²) between 0.9782 and 0.9971. The nozzle models were similar in relation to straw crossing by the tracer. The mean crossing percentages were 43.00; 18.77; 3.73; 0.78; 0.17; 0.04 and 0.01% for the amounts 1, 2, 4, 6, 8, 10 and 12 t ha¹ of black oat straw, respectively.

Descrição

Palavras-chave

ponta de pulverização, Avena strigosa, cobertura morta, corante FDC-1, nozzle, Avena strigosa, mulch, FDC-1 tracer

Como citar

Planta Daninha. Sociedade Brasileira da Ciência das Plantas Daninhas , v. 22, n. 4, p. 561-566, 2004.