Por uma nova arrumação do mundo: a obra de Mia Couto em seus pressupostos ecosóficos

Carregando...
Imagem de Miniatura

Data

2011-06-27

Autores

Cantarin, Márcio Matiassi [UNESP]

Título da Revista

ISSN da Revista

Título de Volume

Editor

Universidade Estadual Paulista (Unesp)

Resumo

Eminentes profissionais das mais diversas áreas, desde teólogos até físicos teóricos têm concordado que, para que o ser humano possa adentrar uma nova etapa de seu desenvolvimento psíquico e – mais premente – para que possa frear o cataclismo ecológico anunciado, faz-se necessária a emergência de um novo paradigma civilizacional. O presente trabalho aventa a hipótese de que a obra narrativa de Mia Couto conjuga um projeto políticoideológico que sinaliza um caminho para essa nova era. Ao dar visibilidade a aspectos negligenciados pelo atual paradigma, Couto promove a ideia de que a verdade histórica sobre a qual se erigiu o mundo ocidental nada mais é que uma versão construída pelo discurso da dominação. Para além da verdade oficial, encontra-se a verdade das mulheres e crianças, dos povos colonizados, das minorias étnicas e sexuais, bem como dos demais seres que coabitam com o homem na Terra. Desconstruir pressupostos antropocêntricos, androcêntricos, eurocêntricos e heteronormativos é dar voz e vez à verdade dos seres preteridos pela histórialei-do-mais-forte. Quiçá isto estaria sensibilizando para a causa mais importante da História da humanidade: a agenda que trata da sobrevivência da própria espécie. Diante disso, o trabalho analisa um corpus de 26 narrativas à luz dos pressupostos da ecocrítica, ecosofia, feminismo e pós-colonialismo, objetivando demarcar esse hipotético leitmotiv da obra coutiana e as formas como contribuiria, num quadro mais amplo, para a conscientização e revisão do atual paradigma de morte que domina o mundo ocidentalizado
Eminent professionals from several different fields of knowledge, ranging from theologists to theoretical physicists have agreed that it is only possible for human beings to penetrate into a new level of their psychic development – and more urgently – in order to slow down the imminent ecological cataclysm, we urge the establishment of a new civilizatory paradigm. This thesis suggests the hypothesis which states that Mia Couto’s narrative works bring together a political-ideological project, which shows a path leading to this new era. By highlighting aspects neglected by the current paradigm, Couto foments the idea of which the historical truth that founded the western world is nothing but a version built by the discourse of domination. Beyond the official truth, there is the truth concerned to women and children, colonized cultures, ethnic and sexual minorities, as well as to other beings that cohabit with men on Earth. Deconstructing anthropocentric, androcentric, eurocentric and heteronormative presuppositions is to give voice and a chance for the truth of those who have been neglected by the History and survival of the most “favored men”. This could be possibly sensitizing the most important cause of mankind’s History: the agenda that deals with the survival of our own species. Thus, our study analyzes a corpus of 26 narratives enlightened by the presuppositions of ecocriticism, ecosophy, feminism and postcolonialism, intending to distinguish this hypothetical leitmotiv in Couto’s works and the ways it would contribute, in a wider scope, for the acquaintance and revision of the current paradigm of death that dominates the westernized world

Descrição

Palavras-chave

Literatura moçambicana, Pós-colonialismo, Mia Couto, Mozambican literature. eng, Feminism, Postcolonialism, Ecosophy, Ecofeminism

Como citar

CANTARIN, Márcio Matiassi. Por uma nova arrumação do mundo: a obra de Mia Couto em seus pressupostos ecosóficos. 2011. 212 f. Tese (doutorado) - Universidade Estadual Paulista, Faculdade de Ciências e Letras de Assis, 2011.