Avaliação do efeito do óleo essencial de Citrus Auratium L. no infarto do miocárdio em ratos

Carregando...
Imagem de Miniatura

Data

2014-05-30

Autores

Polo, Celi Macedo [UNESP]

Título da Revista

ISSN da Revista

Título de Volume

Editor

Universidade Estadual Paulista (Unesp)

Resumo

The effect of treatment with Citrus aurantium essential oil (OEC) on rat models of experimental myocardial infarct was evaluated. Rats were treated with OEC 250mg/kg (p.o.) for 7 days and the infarct was induced by isoproterenol administration (100mg/kg, sc) on treatment days 6 and 7. Twenty four hours after the second isoproterenol injection the rats were killed and the enzymatic, serum, heart morphological and functional parameters were evaluated. Isoproterenol administration increased significantly the level of biochemical markers of myocardial (CK-MB, total cholesterol), liver (AST, ALT) and kidney (urea, creatinine) injury and induced myocardial damage and necrosis as evaluated by histopathological evaluation and TTC staining, respectively. No functional impairment was observed in the Langendorff perfused rat hearts from isoproterenol-treated animals. The OEC treatment was not able to prevent or attenuate the isoproterenol-induced myocardial lesion or any of the biochemical and morphological changes accompanying the infarct. In addition, hearts from OEC treated rats were not protected from the myocardial lesion induced by in vitro ischemia-reperfusion. The results obtained in the two different models of myocardial infarct show that OEC (250mg/kg) administration has no cardioprotective effect
O presente trabalho investigou o efeito do óleo essencial de Citrus aurantium L. (OEC) em modelos experimentais de infarto do miocárdio em ratos. Para tanto, foram analisados parâmetros enzimáticos, séricos, morfológicos e funcionais de ratos submetidos à indução de infarto por isoproterenol. Foram analisados também parâmetros morfológicos de corações de animais tratados com OEC, posteriormente submetidos à isquemia/reperfusão in vitro. O OEC foi administrado oralmente por 7 dias na dose de 250 mg/kg. Nos dois últimos dias de tratamento, foi aplicado isoproterenol (2x100 mg/kg, a cada 24 horas) ou salina (2 mL/kg). Foram feitas medidas bioquímicas de injúria do miocárdio, através da dosagem sérica de CK-MB, AST, ALT, ureia, creatinina, colesterol total, que foram significativamente elevadas nos ratos infartados, apesar dos mesmos não apresentarem alterações nos parâmetros funcionais avaliados (pressão arterial e pressão intraventricular). A análise morfológica feita pelo método de coloração com TTC verificou presença de lesão isquêmica nos animais tratados com isoproterenol, assim como alterações na estrutura do miocárdio, observadas em cortes histológicos. O OEC não foi eficaz em evitar os parâmetros alterados pelo isoproterenol, assim como não preveniu contra os danos induzidos pela isquemia/reperfusão in vitro. O estudo conclui que o pré-tratamento com OEC não foi eficaz na cardioproteção nos modelos experimentados

Descrição

Palavras-chave

Infarto do miocárdio, Laranja - Pesquisa, Essencias e oleos essenciais - Uso terapeutico, Isquemia, Rato como animal de laboratorio, Orange - Therapeutic use, Myocardial infarction

Como citar

POLO, Celi Macedo. Avaliação do efeito do óleo essencial de Citrus Auratium L. no infarto do miocárdio em ratos. 2014. 80 f. Dissertação (mestrado) - Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho, Instituto de Biociências de Botucatu, 2014.