Palavrões ou palavras: um estudo com educadoras/es sobre sinônimos usados na denominação de temas relacionados ao sexo

Carregando...
Imagem de Miniatura

Data

2008-05-09

Autores

Braga, Eliane Rose Maio [UNESP]

Título da Revista

ISSN da Revista

Título de Volume

Editor

Universidade Estadual Paulista (Unesp)

Resumo

Seria a sexualidade algo ainda escondido? Com certeza, sim. Em todos os lugares, em todas as pessoas e em todas as situações do cotidiano? Isto não daria para afirmarmos, mas o que mostramos neste trabalho é como as atitudes e os comportamentos sexuais das pessoas, nos dias de hoje, estão sendo representados pelas palavras, ou então, pelos sinônimos proferidos cotidianamente, como também dentro do universo escolar. Coletamos por meio de uma pesquisa qualitativa um total de 1.308 palavras que representam os nomes para a genitália masculina e feminina: pênis e vulva e para algumas práticas sexuais, masturbação e relação sexual. Uma dinâmica retirada do material do SEBRAE (Serviço de Apoio à Pequena Empresa) foi aplicada em seis estados brasileiros, compreendendo quatro regiões: sul, sudeste, centro-oeste e nordeste, em cursos de formação em Orientação Sexual escolar, com a participação de 4.916 pessoas, sendo pais/mães e professores/as, com as idades entre dezoito a sessenta e oito anos. As palavras encontradas foram agrupadas em eixos temáticos e divididas em categorias, apoiadas na análise de conteúdo de Laurence Bardin. Discutimos a importância e/ou a necessidade da utilização de tantos sinônimos que se refiram a sexo/sexualidade. Após a análise das palavras, constatamos a dificuldade que os/as participantes demonstram em verbalizar palavras de cunho sexual, portanto com resistências e desinformação que são passadas aos/às alunos/as, denotando assim uma repressão sexual e a conseqüente necessidade da Orientação Sexual, no ambiente escolar, envolvendo toda a comunidade educativa, a saber: pais/mães, professores/as, equipe pedagógica e administrativa, funcionários/as e alunos/as.
Is sexuality still something hidden? Certainly, yes. In every place, in every person and in every daily situation? We cannot claim that, but what we want to show with this work is, how sexual attitudes and behaviours of the people in nowadays are represented in words or in daily spoken synonyms and also in the school system. We collected in need for a qualified research a total of 1.308 words that represent names for the male and female genitalia: penis and vulva and for some sexual practices, masturbation and sexual relation (ships). A removed dynamic of the material of SEBRAE has been applied in six brasilian states, including these four regions: the south, southeast, the center of the west and the northeast, in courses that deal with the formation in Sexual Orientation in school, with the participation of 4.916 persons, fathers/mothers and teacher; their age was between eighteen and sixty-eight years. The noticed words have been classified in various groups and divided in different categories, based on the analyse of the contents of Bardin (1977). We discussed the importance and/or the necessity of the utilisation of so much synonyms that relate to sex/sexuality. After the analyse of the words, we found out that there is still a difficulty that people show when it comes to speaking out words that relate to sexual subjects; by that their resistance and the lack of information are transfered to the students, and this fact is denoting a sexual repression and a consistently necessity of Sexual Orientation, in schools, envolving the whole educating community, to know: fathers/mothers, teacher, the pedagogical and administrative groups, employees and students.

Descrição

Palavras-chave

Educação - Brasil, Ensino, Sinonimos, Sexo, Orientação sexual, Sex, Synonyms, Sexual Orientation in Schools

Como citar

BRAGA, Eliane Rose Maio. Palavrões ou palavras: um estudo com educadoras/es sobre sinônimos usados na denominação de temas relacionados ao sexo. 2008. 240 f. Tese (doutorado) - Universidade Estadual Paulista, Faculdade de Ciências e Letras de Araraquara, 2008.