Efeito do ambiente intrauterino materno inadequado no tecido adiposo de descendentes murinos

Carregando...
Imagem de Miniatura

Data

2021-03-05

Autores

Saullo, Carolina Magrin

Título da Revista

ISSN da Revista

Título de Volume

Editor

Universidade Estadual Paulista (Unesp)

Resumo

Obesidade é considerada um problema de saúde pública mundial e atinge um alto número de mulheres em idade fértil. Sabe-se que as alterações nutricionais no período pré-gestacional, gestacional e de lactação resultam na programação da prole a longo prazo. Dessa forma, esta revisão tem como objetivo analisar a influência da dieta hiperlipídica materna (DHL) sobre a morfologia dos adipócitos do tecido adiposo branco visceral e subcutâneo da prole. Foram encontrados 4.649 artigos nas bases de dados utilizando as palavras-chave selecionadas. Destes, apenas 28 foram selecionados para compor esta revisão sistemática e 15 foram incluídos na meta-análise. Concluímos que há uma grande discrepância na porcentagem de gordura que compõe a dieta rica em gordura, variando de 14% a 62%. Além disso, foi possível notar a falta de clareza nas informações sobre o delineamento dos estudos, dificultando sua replicação. Foi concluído também que o consumo crônico de uma dieta hiperlipídica materna influencia o desenvolvimento do tecido adiposo branco visceral de seus descendentes com relação à hipertrofia adipocitária, independente do consumo de DHL ou dieta padrão dos descendentes. As alterações na hiperplasia estão relacionadas com os descendentes que mantiveram o consumo de DHL. Além disso, existe um dimorfismo sexual com relação à hipertrofia de adipócitos nas diferentes regiões dos descendentes.
Obesity is considered a worldwide public health problem, and affects a high number of women of childbearing age. It is known that nutritional changes in the pre-gestational, gestational and lactation period result in the long-term prognosis of the offspring. Thus, this review aims at analyzing the influence of the maternal high-fat diet (HFD) on the morphology of the offspring adipocytes (visceral and subcutaneous white adipose tissue). Using the selected keywords, 4,649 articles were found in the databases. Of these, only 28 were selected to compose this systematic review and 15 were included in the meta-analysis. We concluded there is a large discrepancy in the percentage of fat that makes up the high-fat diet, ranging from 14% to 62%. In addition, it was possible to notice the lack of clarity of the information about the study design, making it difficult to replicate. In addition, the chronic consumption of a maternal hyperlipidic diet influences the development of the visceral white adipose tissue of their descendants related to adipocyte hypertrophy, regardless of the HFD or standard diet consumption. The offspring fed DHL at long-term presented hyperplasia. It was also possible to observe there is a difference regarding the adipocyte hypertrophy in the different fat regions related to the sex of the descendants.
Estudos clínicos e epidemiológicos mostram que a hiperglicemia materna pode alterar a programação dos descendentes levando a efeitos transgeracionais, como aumento da adiposidade nos descendentes, aumento da suscetibilidade ao desenvolvimento de obesidade e riscos metabólicos adversos que podem persistir desde a infância até a idade adulta. Essas alterações, somadas a fatores ambientais como o consumo de dieta ocidental rica em gordura e atividade física reduzida, também contribuem significativamente para o aparecimento de comorbidade na vida adulta dos descendentes. O objetivo deste estudo foi avaliar a influência da dieta hiperlipídica após o desmame, associada ou não ao ambiente intrauterino hiperglicêmico, no tecido adiposo periovariano de descendentes na idade adulta. O diabete materno foi induzido quimicamente por droga beta-citotóxica (streptozotocin) e a dieta hiperlipídica foi preparada com enriquecimento de banha de porco e oferecida desde o desmame até a vida adulta dos descendentes. Aos 120 dias de vida, as ratas (filhas) foram anestesiadas e decapitadas para obtenção de amostras de tecido adiposo. De acordo com os achados, o ambiente intrauterino hiperglicêmico, associado ao consumo de DHL após o desmame dos descendentes, causou aumento do peso corpóreo, da gordura total e da gordura periovariana, a qual pode comprometer a futura função reprodutiva das fêmeas. Estes descendentes adultos apresentaram elevado índice de adiposidade e área dos adipócitos, gerando um tecido adiposo hipertrofiado. Portanto, o diabete materno, por si só causa alterações intergeracionais e, em associação com o consumo de dieta hiperlipídica após o desmame, exacerbou as alterações no tecido adiposo das descendentes fêmeas adultas.
Clinical and epidemiological studies show that maternal hyperglycemia can alter the progeny of the offspring leading to transgenerational effects, such as increased adiposity in the offspring, increased susceptibility to the development of obesity and adverse metabolic risks that can persist from childhood to adulthood. These changes, added to environmental factors such as the consumption of a Western diet rich in fat and reduced physical activity, also contribute significantly to the appearance of comorbidity in the adult life of the descendants. The aim of this study was to evaluate the influence of the high-fat diet after weaning, associated or not with the hyperglycemic intrauterine environment, on the periovarian adipose tissue of offspring in adulthood. Maternal diabetes was chemically induced by a beta-cytotoxic drug (streptozotocin) and the high-fat diet was prepared with lard enrichment and offered from weaning to adulthood of the offspring. At 120 days of age, the rats (daughters) were anesthetized and beheaded to obtain adipose tissue samples. According to the findings, the hyperglycemic intrauterine environment, associated with the consumption of DHL after weaning the offspring, caused an increase in body weight, total fat and periovarian fat, which can compromise the future reproductive function of females. These adult offspring showed a high index of adiposity and area of ​​adipocytes, generating a hypertrophied adipose tissue. Therefore, maternal diabetes alone causes intergenerational changes and, in association with the consumption of a high-fat diet after weaning, exacerbated the changes in adipose tissue of adult female offspring.

Descrição

Palavras-chave

Dieta hiperlipidica, Ratos, Prole, Tecido adiposo

Como citar