Parâmetros reprodutivos e da ninhada de ratas com diabetes moderado na prenhez submetidas a exercício aquático

Carregando...
Imagem de Miniatura

Data

2021-06-08

Autores

Sousa, Aretha Santos [UNESP]
Carreira, Helena [UNESP]

Título da Revista

ISSN da Revista

Título de Volume

Editor

Universidade Estadual Paulista (Unesp)

Resumo

Introdução: O diabetes mellitus gestacional é definido atualmente como o diabetes diagnosticado pela primeira vez no segundo ou terceiro trimestre gestacional. A instalação desse tipo de diabetes interfere no ambiente intrauterino, levando a alterações tanto materno quanto fetais. Existem evidências que o exercício ajuda a manter o bom controle metabólico da glicemia, porém, há escassez de estudos sobre a influência do exercício nos parâmetros materno-fetais. Objetivo: Contribuir para elucidar o impacto do exercício aquático nos parâmetros reprodutivos e da ninhada de ratas prenhes com diabetes moderado. Método: Indução do diabetes moderado no 1º dia de vida com streptozotocin por via subcutânea, na dose de 100 mg/kg de peso corporal diluído em 0,1 mol/l de tampão citrato (pH 4,5). A outra metade da ninhada de fêmeas foi submetida somente à administração de tampão citrato, com confirmação no 17 dia de prenhez. O protocolo de exercício foi de 60 minutos/dia, 6x/semana até o final da prenhez. No dia 21 de prenhez, foram feitas pesagens e contagens, além de calculadas as taxas de perda pré-implantação, pós-implantação, índice de reabsorção e índice placentário. Análise estatística por análise de variância ANOVA de duas vias, seguida do pós-teste de Bonferroni, p<0,05. Resultados: Tanto em função da presença do diabetes quanto da prática de exercício, seja por ratas prenhes não diabéticas ou diabéticas, houve redução de peso dos filhotes. Ainda em função da prática de exercício, foi observado um aumento do peso das placentas. Essas alterações se refletiram em aumento do índice placentário. Conclusão: O presente estudo mostrou que o modelo de diabetes moderado e exercício utilizados no presente estudo levaram a prejuízos dos parâmetros reprodutivos e da ninhada.
Introduction: Gestational diabetes mellitus is currently defined as diabetes initially diagnosed in the second or third gestational trimester. This type of diabetes affects the intrauterine environment, leading to maternal-fetal changes. Evidence shows that exercise helps to maintain good metabolic control of glycemia, however, there are few studies reporting the influence of exercise on maternal-fetal parameters. Objective: Contribute to elucidate the impact of swimming exercise and maternal-fetal repercussions in pregnant rats with moderate diabetes. Method: Induction of moderate diabetes in the first day of life with streptozotocin by subcutaneous injection, a dose of 100 mg/kg of body weight diluted in 0.1 mol/l of citrate buffer (pH 4.5). The other half of the female offspring was only submitted to administration of citrate buffer, with confirmation on the 17th day of pregnancy. The exercise protocol was 60 minutes/day, 6x/week until the end of pregnancy. On day 21 of pregnancy, weights and counts were collected, in addition to calculation of pre-implantation and post-implantation loss rates, resorption index and placental index. Statistical analysis by two-way ANOVA, then Bonferroni post-test, p<0.05. Results: Due to the presence of diabetes and the practice of exercise, whether by non-diabetic or diabetic pregnant rats, there was a reduction in the weight of the fetuses. Also due to the practice of exercise, an increase in placental weight was observed. These changes were reflected in an increase in the placental index. Conclusion: The present study showed that the models of gestational diabetes mellitus and exercise used in the present study caused damage to reproductive parameters and to the fetus.

Descrição

Palavras-chave

Exercício físico, Repercussões materno fetais, Hiperglicemia, Prenhez, Physical exercise, Maternal fetal repercussions, Hyperglycemia, Pregnancy

Como citar