Considerações iniciais sobre a química e potencialidades medicinais da prata e seus compostos

Carregando...
Imagem de Miniatura

Data

2022-01-18

Orientador

Godoy Netto, Adelino Vieira de

Coorientador

Pós-graduação

Curso de graduação

Química - IQ

Título da Revista

ISSN da Revista

Título de Volume

Editor

Universidade Estadual Paulista (Unesp)

Tipo

Trabalho de conclusão de curso

Direito de acesso

Acesso abertoAcesso Aberto

Resumo

Resumo (inglês)

Silver is a noble metal known since antiquity, although the exact date of its discovery is not known, it is believed to have been the third, the first two being Copper and Gold. Silver has several physicochemical properties of great interest, reason by which it has several applications in everyday life, such as in mirrors, household utensils, electronic devices and even in medicinal purposes such as catheters, dressings. Despite being considered a non-essential element, silver and its derivatives have antibacterial, antifungal, antiviral activity, together with its ability of destroying pathogenic microorganisms that cause tuberculosis, leishmaniasis and tumor cells. Although the mechanism of action of silver and its derivatives is complex, there is a body of evidence that indicates the Ag+ ion as being the biologically active species. The Ag+ ion acts on several cell targets, such as proteins embedded in the cell membrane, mitochondria, DNA, among others. Silver coordination compounds have been systematically studied due to their potential pharmacological use. Among the silver compounds used in clinical practice, silver sulfadiazine stands out for the treatment of burns. Other compounds have been investigated, especially those containing heterocyclic ligands, N-heterocyclic carbenes and phosphines, which have shown very promising results against pathogenic microorganisms and tumor cells. Silver nanoparticles have also been extensively investigated and their use has been growing substantially. In particular, colloidal silver, a suspension of silver nanoparticles, has long been used, for example, as a germicide in hospitals. Although the toxicity of silver is relatively low in humans, ingesting large amounts of colloidal silver causes argyria and other possible side effects. In recent years, colloidal silver formulations have been marketed as “cure all” remedies without any scientific evidence, resulting in several cases of poisoning

Resumo (português)

A Prata é um metal nobre conhecido desde a antiguidade, muito embora não se saiba exatamente a data de sua descoberta, acredita-se ter sido a terceira, sendo os dois primeiros o Cobre e o Ouro. A prata apresenta várias propriedades físico-químicas de grande interesse, razão pela qual tem várias aplicações no cotidiano, tais como em espelhos, utensílios domésticos, dispositivos eletrônicos e até mesmo em fins medicinais tais como cateteres, curativos. Apesar de ser considerada um elemento não essencial, a prata e seus derivados apresentam atividade antibacteriana, antifúngica, antiviral, além de ser capazes de destruir microorganismos patógenos causadores da tuberculose, leishmaniose e células tumorais. Apesar do mecanismo de ação da prata e seus derivados ser complexo, há um conjunto de evidências que apontam o íon Ag+ como sendo a espécie biologicamente ativa. O íon Ag+ atua em vários alvos celulares, como proteínas embebidas na membrana celular, mitocôndria, DNA, entre outros. Os compostos de coordenação de prata vêm sendo estudados sistematicamente devido ao seu potencial uso farmacológico. Dentre os compostos de prata utilizados na prática clínica, destaca-se a sulfadiazina de prata para o tratamento de queimaduras. Outros compostos vem sendo investigados, especialmente aqueles contendo ligantes heterocíclicos, carbenos N-heterocíclicos e fosfinas têm apresentado resultados muito promissores contra microorganismos patogênicos e células tumorais. As nanopartículas de prata também vêm sendo bastante estudadas e seu uso vem crescendo substancialmente. Particularmente, a prata coloidal, uma suspensão de nanopartículas de prata, há muito vem sendo usada, por exemplo, como germicida em hospitais. Embora a toxicidade da prata seja relativamente baixa em seres humanos, a ingestão de grandes quantidades de prata coloidal causa argiria, além de outros possíveis efeitos colaterais. Nos últimos anos, formulações de prata coloidal vem sendo comercializadas como remédios “cura tudo” sem qualquer evidência científica, resultando em vários casos de intoxicação.

Descrição

Idioma

Português

Como citar