Motivos da recusa à doação de órgãos apontados familiares de pessoas com morte encefálica

Nenhuma Miniatura disponível

Data

2012

Orientador

Coorientador

Pós-graduação

Curso de graduação

Título da Revista

ISSN da Revista

Título de Volume

Editor

Tipo

Artigo

Direito de acesso

Acesso restrito

Resumo

Resumo (inglês)

Purpose: Study aiming to understand the reasons for the refusal to donate organs by relatives of potential donors living in the Mid-Western region of the São Paulo state. Method: Qualitative study performed after data collection by the Organ Procurement Organization (OPO) Division of a reference hospital in the region. Relatives were contacted to participate in a semi-structured interview, and after the subjects in the study were characterized, four guiding questions were presented; their respective answers were recorded to be transcribed later. The Analysis of Content method proposed by Bardin was used to organize the speeches. Results: From 2006 to 2008, 30 (35.3%) families contacted by OPO have refused to agree with the organ donation. From that universe, 16 family members were interviewed. Data was systematized in three major themes: The experience of being informed on a family member’s brain death, decision concerning to the organ donation and aspects that would facilitate the decision to agree with the organ donation. Conclusion: the identification of reasons for the refusal and the suggestions presented has provided subsidies to improve the organ donation for transplantation process.

Resumo (português)

Objetivo: Apreender os motivos da recusa à doação de órgãos, a partir de familiares de potenciais doadores, residentes na região centrooeste do estado de São Paulo. Método: Estudo qualitativo, realizado após levantamento de dados junto ao setor de Organização de Procura de Órgãos (OPO), localizado em um hospital de referência da região. Os familiares foram contatados para realização de entrevista semiestruturada, na qual, após caracterização dos sujeitos do estudo, foram apresentadas quatro questões norteadoras, tendo sido as respostas gravadas e posteriormente transcritas. Para a organização dos discursos dos entrevistados, empregou-se o método de Análise de Conteúdo, proposto por Bardin. Resultados: No período de 2006 a 2008, 30 (35,3%) das famílias contatadas pela OPO recusaram-se a dar seu consentimento à doação dos órgãos. Desse universo, foram entrevistados membros de 16 famílias. Os dados foram sistematizados em três grandes temas: a experiência de ser informado da morte encefálica do familiar, decisão sobre a solicitação da doação de órgãos e aspectos que facilitariam a decisão de concordar com a doação de órgãos. Conclusão: A identificação dos motivos da recusa e as sugestões apresentadas fornecem subsídios para melhoria do processo de doação de órgãos para transplantes.

Descrição

Idioma

Português

Como citar

JBT. Jornal Brasileiro de Transplantes, v. 14, n. 3, p. 1579-1585, 2012.

Itens relacionados

Financiadores