Social Kills of Undergraduates Without Mental Disorders: Academic and Socio-Demographic Variables

Carregando...
Imagem de Miniatura

Data

2015

Orientador

Coorientador

Pós-graduação

Curso de graduação

Título da Revista

ISSN da Revista

Título de Volume

Editor

Universidade de São Francisco, Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Psicologia

Tipo

Artigo

Direito de acesso

Acesso abertoAcesso Aberto

Resumo

Resumo (inglês)

Literature shows a lack of studies regarding the influence of academic and socio-demographic characteristics in social skills of students without mental disorders. The aim of this work was to characterize and compare the social skills of university students without indicators of mental disorder, according to the academic and socio-demographic variables. The participants were 461 students from both genders and various areas, without mental disorders, based on the criteria of a structured clinical interview. Social skills were evaluated through the QHC-Universitários. Data was compared using statistical procedures. The students of full-time human science courses, those in the intermediate/final years and females were more skillful. The employed students from evening courses reported more skills in speaking in public, while living with other students seemed to promote more confrontation skills.

Resumo (espanhol)

Existen pocos estudios sobre la influencia de las características académicas y sociodemográficas en las habilidades sociales de estudiantes universitarios sin trastorno mental, por lo tanto el objetivo de este estudio se remite justamente a este tema. Participaron 461 estudiantes de ambos sexos y diferentes áreas, sin trastorno mental, a partir de criterios de una entrevista clínica estructurada. Las habilidades sociales fueron evaluadas a través del QHC-Universitarios y los datos se compararon mediante procedimientos estadísticos. Los estudiantes de cursos de humanidades, integrales, de años intermedios o finales; y las mujeres, se mostraron más habilidosos. Los estudiantes de cursos nocturnos y que trabajaban demostraron más habilidades para hablar en público; y el hecho de vivir en residencias estudiantiles parece promover mayores habilidades de enfrentamiento.

Resumo (português)

Verifica-se, na literatura, uma carência de estudos sobre a influência de características acadêmicas e sociodemográficas para habilidades sociais de estudantes sem transtorno mental. Objetiva-se caracterizar e comparar as habilidades sociais de estudantes universitários, sem indicadores de transtorno mental, quanto as variáveis acadêmicas e sociodemográficas. Participaram, deste estudo, 461 estudantes de ambos os sexos e de áreas diversas, sem transtorno mental, a partir de critérios de uma entrevista clínica estruturada. Procedeu-se avaliação das habilidades sociais por meio do QHC-Universitários. Os dados foram comparados por procedimentos estatísticos. Os estudantes dos cursos de humanas, integrais, de anos intermediários/finais, e as mulheres mostraram-se mais habilidosos. Os estudantes de cursos noturnos e que trabalhavam relataram mais habilidades no falar em público; morar em república pareceu promover mais habilidades de enfrentamento.

Descrição

Idioma

Inglês

Como citar

Psico-USF. Universidade de São Francisco, Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Psicologia, v. 20, n. 3, p. 447-459, 2015.

Itens relacionados

Financiadores