Avaliação da dose letal 'DL IND.50' oral e efeitos metabólicos da linamarina extraída de mandioca, em ratos

Carregando...
Imagem de Miniatura

Data

2001-02-21

Orientador

Cereda, Marney Pascoli
Rodrigues, Maria Aparecida Marchesan

Coorientador

Pós-graduação

Agronomia (Energia na Agricultura) - FCA

Curso de graduação

Título da Revista

ISSN da Revista

Título de Volume

Editor

Universidade Estadual Paulista (Unesp)

Tipo

Tese de doutorado

Direito de acesso

Acesso abertoAcesso Aberto

Resumo

Resumo (português)

No presente estudo ratos machos, var. Wistar, com peso médio de 120g, divididos aleatoriamente em cinco grupos de cinco animais cada, receberam concentrações orais de linamarina extraída de mandioca com 87,3% de pureza equivalentes a 87,3; 174,6; 349,2 e 698,4 mg/kg peso vivo através de gavagem para determinação da DL50. Após a administração das soluções, os animais foram observados quanto a ocorrência de óbitos por 4 horas. Nesse período morreram todos os animais do grupo que recebeu 698,4 mg/kg peso vivo, 3 animais com dose de 349,2 mg/kg peso vivo e 2 animais com dose de 174,6 mg/kg peso vivo. Os sobreviventes foram observados por 14 dias e posteriormente sacrificados. Foram realizadas análises histopatológicas do cérebro, coração, pulmão, fígado, intestino delgado, músculo estriado, pâncreas, rim e baço. Estudou-se também a bioquímica sérica relativa aos níveis de proteína total, albumina, globulina, glicose e atividade das enzimas Alanina Transaminase (EC 2.6.1.2), Aspartatos Transaminase (EC 2.6.1.1) e Lactato Desidrogenase (EC 1.1.1.27), além do consumo de ração e peso corporal. Os animais mortos pelas maiores concentrações de glicosídeos apresentaram ao exame histopatológico, congestão generalizada no cérebro, fígado, rins e coração. Os sobreviventes, sacrificados aos 14 dias, não apresentaram sinais de anóxia em tecido nobres. Não foram observadas alterações significativas nos parâmetros bioquímicos estudados. O consumo de ração e peso corporal não foram afetados. Pelos resultados obtidos foi possível estabelecer que a DL50 oral de linamarina extraída foi 324,86l1,5 mg/kg/peso vivo, correspondendo a 35,35 mg de HCN/kg peso vivo.

Resumo (inglês)

In the present study the toxicity of linamarin, a cyonogenic glucoside extracted from cassava roots, was investigated in rats. Rondon bred male Wistar rats weighing 100-120g were given 100, 200, 400 800 mg linamarin/kg bw by stomach tube and observed for the occurrence of deaths. The purity of extracted linamarin was 87,3%. After 4 hours all the 5 animals that received 800 mg/kg b.w. have died; 3 out of 5 rats on 400 mg/kg b.w. and 2 out 5 animals that ingested 200 mg/kg b.w. have died. The survivors were observed for 14 days and sacrificed for evaluation of srum biochemistry (total protein albumin, globulin, glucose, alanine aminotransferase, aspartate aminotransferase and lactato dehydrogenase) and post-mortem examination. Food intake was registered daily and body weight registred twice a week. The oral LD50 determined was 324.86l1.5 mg/kg b.w. There was generalised congestion in the brain, heart, liver and kidney in the animals that died from the toxic levels of linamarin. No significant changes in serum biochemistry levels were observed in these animals. The rats that survived until 14 days did not present significant changes in serum biochemistry nor histopathological lesions. The results of the present study indicate that LD50 of linamarin is higher than the safe levels set by the Codex Alimentarius Comission of FAO/WHO.

Descrição

Idioma

Português

Como citar

LOPES, Ana Maria. Avaliação da dose letal 'DL IND.50' oral e efeitos metabólicos da linamarina extraída de mandioca, em ratos. 2001. xi, 85 f. Tese (doutorado) - Universidade Estadual Paulista, Faculdade de Ciências Agronômicas, 2001.

Itens relacionados

Financiadores