Cochonilhas associadas à cana-de-açúcar no estado de São Paulo, com destaque para Saccharicoccus sacchari (Cockerell, 1895) (Hemiptera: Pseudococcidae): distribuição, sazonalidade e interação com o fungo Colletotrichum falcatum Went 1893 (Glomerellales: Glomerellaceae)

Carregando...
Imagem de Miniatura

Data

2019-02-19

Orientador

Martinelli, Nilza Maria
Peronti, Ana Lucia Benfatti Gonzalez

Coorientador

Pós-graduação

Agronomia (Entomologia Agrícola) - FCAV

Curso de graduação

Título da Revista

ISSN da Revista

Título de Volume

Editor

Universidade Estadual Paulista (Unesp)

Tipo

Dissertação de mestrado

Direito de acesso

Acesso abertoAcesso Aberto

Resumo

Resumo (português)

As espécies de cochonilhas (Hemiptera: Coccomorpha) associadas a Saccharum spp. (Poaceae) nas diferentes regiões produtoras ao redor do mundo são distintas. Saccharicoccus sacchari (Cockerell, 1895) (Pseudococcidae) é uma espécie comum em praticamente todas as áreas, encontrada na maioria dos países onde a cana-de-açúcar é cultivada, sendo considerada uma praga importante no Havaí e na China. Para o estado de São Paulo, principal produtor brasileiro, que concentra as maiores áreas do cultivo, destacam-se Aclerda takahashii (Kuwana, 1932) (Aclerdidae) e S. sacchari. Entretanto, o pseudococcídeo tem sido relatado pelos produtores em altas infestações, juntamente com a ocorrência da doença da podridão vermelha em cana causada pelo fungo fitopatogênico Colletotrichum falcatum Went, 1893 (Glomerellales: Glomerellaceae). Este trabalho teve como objetivos: estudar a distribuição de A. takahashii e S. sacchari associadas à cana-de-açúcar no estado de São Paulo, além da sazonalidade das duas espécies de cochonilhas no município de Jaboticabal, SP; avaliar a hipótese de que a S. sacchari possa atuar como facilitadora da penetração do fitopatógeno C. falcatum, causador da doença da podridão vermelha, em cana-de-açúcar; e registrar a ocorrência de outras espécies associadas a Saccharum spp. O levantamento das cochonilhas foi realizado em áreas de plantio semi-mecanizado nos meses de junho, e entre agosto e dezembro de 2017, em localidades de 17 municípios; e a sazonalidade durante o período de um ano, entre agosto e dezembro de 2017, em dois pontos amostrais em Jaboticabal, SP. Constatou-se que A. takahashii e S. sacchari encontram-se amplamente distribuídas no estado de São Paulo. Entretanto S. sacchari foi a espécie mais frequente e abundante em todos os municípios amostrados. Em Jaboticabal, o pseudococcídeo apresentou o maior índice de infestação em agosto de 2017, enquanto o aclerdídeo em março de 2018. Entretanto, ambas não apresentaram similaridades nas sazonalidades. Para o estudo experimental, foi estabelecida uma criação de S. sacchari sob condições controladas, em laboratório. Em casa de vegetação, foi realizado o plantio de 320 gemas, 160 da CTC4 e 160 da RB86 7515, subdivididas em quatro tratamentos para cada variedade: (1) infestado com cochonilhas S. sacchari; (2) infectado com os esporos do fungo; (3) infestado com cochonilhas e infectado com esporos do fungo; e (4) Testemunha. Avaliou-se os sintomas da doença, a biometria, os Açúcares Totais Redutores (ATR), e o Açúcar Redutor (AR). Após a observação dos primeiros sintomas da doença, na fase de maturação, constatou-se maior incidência da doença nos tratamentos com a cochonilha e o fungo, de ambas variedades; presença de cochonilhas e da doença em tratamentos que não houve inoculação e/ou infecção; e diferença não significativa entre os tratamentos quanto aos dados biométricos e tecnológicos da planta. Plantas com a presença da cochonilha e do fungo apresentaram menores índices de açúcares; e a variedade CTC4 apresentou menores índices da doença. A cochonilha parece facilitar a penetração dos esporos do fungo da podridão vermelha, entretanto estudos futuros serão necessários para confirmar esta hipótese. Além disso, registra-se aqui a primeira ocorrência de Duplachionaspis divergens (Green, 1899) no Brasil e Hemiberlesia musae Takagi e Yamamoto, 1974 (Hemiptera: Diaspididae) em plantas hospedeiras de Saccharum spp. em casa de vegetação no Brasil.

Resumo (inglês)

The species of scale insects (Hemiptera: Coccomorpha) associated with Saccharum spp. (Poaceae) in the different producing regions around the world are distinct. Saccharicoccus sacchari (Cockerell, 1895) (Pseudococcidae) is a common species in practically all areas, found in most countries where sugarcane is grown and considered a major pest in Hawaii and China. For the state of São Paulo, the main Brazilian producer, which concentrates the largest crop areas, stand out Aclerda takahashii (Kuwana, 1932) (Aclerdidae) and S. sacchari. However, the pseudococcid has been reported by growers in high infestations, jointly with the occurrence of red rot disease in sugarcane caused by the phytopathogenic fungus Colletotrichum falcatum Went, 1893 (Glomerellales: Glomerellaceae). The objectives of this work were: to study the distribution of A. takahashii and S. sacchari associated to sugarcane in the state of São Paulo, as well as the seasonality of the two species of scale insect in the municipality of Jaboticabal, SP; to evaluate the hypothesis that S. sacchari can act as a facilitator of the penetration of the plant pathogen C. falcatum, which causes red rot disease in sugarcane; and, to record the occurrence of other species associated with Saccharum spp. The sampling of the scale insects was carried out in semi-mechanized planting areas in the months of June, and, between August and December of 2017, in localities of 17 municipalities; and the seasonality during a period of one year, between August and December of 2017, in two sample points in Jaboticabal, SP. It was found that A. takahashii and S. sacchari are widely distributed in the state of São Paulo. However, S. sacchari was the most frequent and abundant species in all municipalities sampled. In Jaboticabal, the pseudococcid presented the highest infestation rate in August 2017, while the aclerdid in March 2018. However, both did not present similarities in the seasonality. For the experimental study, a rearing of S. sacchari was established under controlled conditions in the laboratory. In greenhouse, 320 buds were planted, 160 of CTC4 and 160 of RB86 7515, subdivided into four treatments for each variety: (1) infested with mealybugs S. sacchari; (2) infected with fungal spores; (3) infested with scale mealybugs and infected with fungal spores; and, (4) Witness. Disease symptoms, biometrics, Total Sugar (TS), and Reducing Sugar (RS) were evaluated. After observing the first symptoms of the disease, in the maturation phase, it was verified a higher incidence of the disease in the treatments with the mealybug and the fungus, of both varieties; presence of mealybugs and the disease in treatments that did not inoculate and/or infect; and, non-significant difference between the treatments regarding the biometric and technological data of the plant. Plants with the presence of mealybug and fungus showed lower rates of sugar; and the CTC4 variety had lower disease rates. The mealybug seems to facilitate the penetration of the fungus spores of the red rot, however future studies will be necessary to confirm this hypothesis. In addition, it registers here the first occurrence of Duplachionaspis divergens (Green, 1899) in Brazil and Hemiberlesia musae Takagi and Yamamoto, 1974 (Hemiptera: Diaspididae) in host plants of Saccharum spp. in a greenhouse in Brazil.

Descrição

Idioma

Português

Como citar

Itens relacionados