Avaliação da endogamia, características reprodutivas e de crescimento em perdizes (Rhynchotus rufescens) criadas em cativeiro

Carregando...
Imagem de Miniatura

Data

2017-02-24

Título da Revista

ISSN da Revista

Título de Volume

Editor

Universidade Estadual Paulista (Unesp)

Resumo

O objetivo do estudo foi avaliar a endogamia, características reprodutivas e de crescimento de perdizes (Rhynchotus rufescens) em cativeiro. O banco de dados genealógicos era composto pelo registro de 1500 animais nascidos entre 2005 e 2016, no qual avaliou-se os parâmetros populacionais através dos softwares ENDOG v.4.8 e o INBUPGF90. As características reprodutivas e de crescimento avaliadas foram: número de ovos/mês (NO30), peso do ovo (PO), circunferência do eixo longitudinal do ovo (CO), fertilidade, eclodibilidade, qualidade espermática, peso ao nascimento (PN), peso corporal e perímetro de peito (PP) e coxa (PC). A preparação da base de dados e a estatística inicial foram realizadas no software estatístico SAS. O modelo não-linear de Gompertz foi ajustado aos 1300 dados de peso/PP/PC por idade para explicar o crescimento dos animais. Foram criados 8 classes de peso para determinadas idades para análise de variância, sendo elas o peso aos 28 (P28), 56 (P56), 84 (P84), 112 (P112), 140 (P140), 168 (P168), 200 dias (P200) e acima de 300 dias (P>300). Os coeficientes de endogamia (F) calculados pelo ENDOG v.4.8 e INBUPGF90 foram 0,036% e 0,04%, respectivamente. O coeficiente de relacionamento médio (AR), taxa de endogamia (ΔF) e tamanho efetivo com base no ΔF foram de 0,63%, 0,02% e 463,56, respectivamente. O intervalo de geração (IG) médio quando se considera progênies que se tornaram reprodutoras e todas as progênies nascidas foi de 2,39 e 2,17 anos, respectivamente. O número efetivo de fundadores (fe) e ancestrais (fa) na população referência foi de 100 e 93, respectivamente, com 214 indivíduos que explicam a diversidade genética. A média estimada para PO e CO foram 57,3 ± 5,5 g e 15,8 ± 0,65 cm, respectivamente. Foram apresentados 33% de nascimentos, com 44% de fertilidade e 76% de eclodibilidade. Na avaliação do sêmen, os valores médios do volume, concentração espermática, motilidade, vigor, quantidade de defeitos espermáticos e acrossomas não íntegros foram: 64,8 µl, 1600,4 x 106 sptz/ml, 71,2%, 3,5, 39% e 8,4%, respectivamente. Os valores assintóticos e taxas de maturidade estimadas para peso, PP e PC foram respectivamente: 758 g, 23,9 cm, 8,8 cm e 0,0197 g, 0,0164 cm e 0,021 cm. As médias observadas de PN, P28, P56, P84, P112, P140, P168, P200 e P>300 foram 41,2 ± 3,8 g, 139,2 ± 30,9 g, 273,3 ± 60,0 g, 440,1 ± 80,1 g, 558,7 ± 78,7 g, 633,3 ± 71,9 g, 683,8 ± 65,4 g, 724,7 ± 67,6 g e 750,0 ± 82,5 g, respectivamente. As informações desconhecidas de parentesco podem ter influenciado a endogamia. O IG foi grande quando comparado com outras espécies de aves. A pesquisa por fatores como esterilidade de indivíduos e enfermidades deve ser realizada para solucionar a baixa fertilidade. A coleta de sêmen foi possível pelas mesmas técnicas empregadas a outras espécies. Os animais apresentam tempo maior para alcançar o peso adulto quando comparado a outras aves. A mudança de ambiente não apresentou grande influência nos pesos corporais dos animais.

Descrição

Palavras-chave

Tinamídeos, População, Ovos, Espermatozoide, Peso

Como citar