Intoxicação e alterações metabólicas do algodão sensível e resistente ao amônio glufosinate

Imagem de Miniatura

Data

2014-07-07

Orientador

Carbonari, Caio Antonio
Cavenaghi, Anderson Luis

Coorientador

Pós-graduação

Agronomia (Agricultura) - FCA

Curso de graduação

Título da Revista

ISSN da Revista

Título de Volume

Editor

Universidade Estadual Paulista (Unesp)

Tipo

Dissertação de mestrado

Direito de acesso

Acesso abertoAcesso Aberto

Resumo

Resumo (inglês)

The Liberty Link cotton cultivars are those that resist a dose of ammonium glufosinate application that normally would be recommended for other biotypes species .These cotton plants are constitute genetically with gene that encodes the production of enzyme phosphinothricin acetyl transferase (PAT) responsible for the acetylation of glufosinate ammonium, inactivating it in the plant. The cotton cultivar FiberMax® 975 WideStrike has present in i ts DNA the gene PAT and present intermediate metabolism to conve ntional cultivars and Liberty Link ®. The purpose of the study was to evaluate the metabolic changes and the intoxication of WideStrike®cotton plants compared with Liberty Link ® and conventional plants, when treated to ammonium glufosinate herbicide. The studies were carried out in a greenhouse at the Faculty of Agricultural Sciences, “Júlio de MesquitaFilho State University – Botucatu Campus (SP). Were conducted two experiments simultaneously using the transgenic and conventional cultivars, the first one to evaluate the toxicity and changes in photosynthesis and the secondto quantify compounds related to the herbicide ammonium glufosinate action route. Five seeds were sown of each cultivar per pot of the three cotton cultivars FM 993 (non - genetically modi fied), FM 975WS® (genetically modified) and IMACD 6001LL® (genetically modified) and at 15 days after emergence (DAE) was performed thinning of the plants, keeping two plants per pot. When the plants had two true leaves (25 days after emergence) held the ...

Resumo (português)

As cultivares de algodão Liberty Link ® são aquelas que resistem à aplicação do amônio glufosinate a uma dose que normalmente seria recomendada para os demais biótipos da espécie. Estas cultivares de algodão são constituídas geneticamente com um gene que codifica a produção da enzima fosfinotric ina acetil transferase (PAT), responsável pela acetilação do amônio glufosinate, inativando - o na planta. A cultivar de algodão FiberMax ® 975 WideStrike por também apresentar em seu DNA o gene PAT apresentaria o comportamento de seu metabolismo intermediário às cultivares convencional e Liberty Link ® . O objetivo do trabalho foi avaliar as alterações metabólicas e a intoxicação das plantas de algodão Wide Strike ® comparadas a plantas Liberty Link ® e convencionais, quando submetidos ao herbicida amônio glufosinate. Os es tudos foram conduzidos em casa de vegetação n a Faculdade de Ciências Agronômicas - FCA / UNESP - Campus de Botucatu (SP). Dois experimentos foram instalad os simultaneamente utilizand o cultivares as cultivares transgênicas e convencional , sendo o primeiro para avaliar a intoxicação e alterações na fotossíntese e o segundo para quantificar compostos relacionados a rota de ação do herbicida amônio glufosinate . Foram semeadas 5 sementes p or vaso de três cultivares de algodão FM 993 (convencional), FM 975WS ® (transgênica) e IMACD 6001LL ® (transgênica) e, aos 15 dias após a emergência (DAE) foi realizado o desbaste das plantas, mantendo duas plantas por vaso. Quando as plantas apresentaram 2 folhas verdadeiras (25 dias após emergência) realizou - se a primeira aplicação dos ...

Descrição

Idioma

Português

Como citar

LATORRE, Débora de Oliveira. Intoxicação e alterações metabólicas do algodão sensível e resistente ao amônio glufosinate. 2014. xi, 65 f. Dissertação (mestrado) - Universidade Estadual Paulista, Faculdade de Ciências Agronômicas de Botucatu, 2014.

Itens relacionados

Financiadores