Avaliação da Hidrólise Ácida e Alcalina do Caroço de Abacate para a Produção de Etanol

Carregando...
Imagem de Miniatura

Data

2009

Orientador

Menezes, Manoel Lima de

Coorientador

Pós-graduação

Curso de graduação

Química - FC

Título da Revista

ISSN da Revista

Título de Volume

Editor

Universidade Estadual Paulista (Unesp)

Tipo

Trabalho de conclusão de curso

Direito de acesso

Acesso abertoAcesso Aberto

Resumo

Resumo (inglês)

New patterns from replaceable sources have been searched by scientific community to ethanol produce. The seed of avocado has thereabout 20% of starch. The starch hydrolysis results fermentable sugars by Saccharomyces cerevisiae, and the ethanol is the major product of fermentation. The starch can be hydrolysed by acids, basis and enzymes. Previous studies showed that enzymatic hydrolysis can produce 26,01 liter of ethanol per ton of seed. At the present work, we analyzed the chemistry hydrolysis efficiency before the enzymatic hydrolysis and the use of dormant seed consequence. The Brix rate variation at each stage was evaluated and the ethanol concentration was determined with gas chromatograph technique. The chemistry hydrolysis with subsequent enzymatic hydrolysis was effective, producing until 61,8 L.ton-1. The use of dormant seeds wasn’t significative to raise the Brix rate. The seed of avocado demonstrated to be an alternative replaceable source to ethanol produce

Resumo (português)

A comunidade científica vem buscando novas matrizes de fontes renováveis para a produção de etanol. A semente de abacate possui cerca de 20% de amido de sua massa total. A hidrólise de amido resulta em açúcares fermentáveis por cepas de Saccharomyces cerevisiae, cujo produto da fermentação é o etanol. O amido pode ser hidrolisado por ácidos, bases e enzimas. Estudos realizados anteriormente mostraram que a hidrólise enzimática produziu em média 26,01 litros de etanol por tonelada de semente. No presente trabalho, analisou-se a eficiência da hidrólise química anterior à enzimática e a conseqüência da utilização de sementes dormentes. Avaliou-se a variação do grau Brix em cada etapa de hidrólise e determinou-se a concentração de etanol produzido ao final do processo através da cromatografia gasosa. A hidrólise química seguida da enzimática mostrou-se ser eficaz produzindo até 61,8 L.ton-1. A utilização de sementes dormentes não foi significativa para o aumento do grau Brix. O caroço de abacate demonstrou-se ser uma fonte renovável alternativa para produção de etanol

Descrição

Idioma

Português

Como citar

NESPECA, Maurílio Gustavo. Avaliação da Hidrólise Ácida e Alcalina do Caroço de Abacate para a Produção de Etanol. 2009. . Trabalho de conclusão de curso (licenciatura - Química) - Universidade Estadual Paulista, Faculdade de Ciências, 2009.

Financiadores