História, memória e luta: trajetórias na/da Reforma Psiquiátrica Brasileira.

Carregando...
Imagem de Miniatura

Data

2018-10-05

Título da Revista

ISSN da Revista

Título de Volume

Editor

Universidade Estadual Paulista (Unesp)

Resumo

Este estudo teve como objetivo historicizar a trajetória do Movimento da Reforma Psiquiátrica brasileira, enquanto processo social complexo, por meio da memória de pessoas que participaram de sua construção. Teve como premissa a ideia de que a construção do movimento social passa necessariamente pela dimensão do humano e de suas escolhas. Foram desenvolvidos estudos e posterior explanação sobre os principais marcadores da história da Reforma Psiquiátrica, a partir das categorias de trabalhador da saúde mental, Associação de Usuários e familiares, gestores em saúde mental e Organização da Reforma Psiquiátrica italiana. O levantamento bibliográfico realizado subsidiou a construção de seis narrativas divididas em função das categorias supracitadas, apresentadas por unidades de sentido e elaboradas com base em entrevistas abertas feitas com atores sociais (brasileiros e italianos) identificados como protagonistas desse processo. Com efeito, entendendo os níveis coleitvo e singular da história como interpenetráveis e intrinsecamente relacionados, concebe-se que a história contada em nível macro é construída dialeticamente, através das experiências dos sujeitos e dos coletivos. O trabalho se justifica por operar na preservação da memória, visando ao fortalecimento do movimento social, por intermédio da desnaturalização e humanização de seus feitos. Considera-se a importância do movimento da Luta Antimanicomial para o desenvolvimento da Reforma Psiquiátrica, no Brasil, e, em relação às trajetórias dos protagonistas, constrói-se a noção de escolhas de vida ética e politicamente orientadas, como fundamento da participação contínua no movimento.
This study aims to historicize the trajectory of the Brazilian Psychiatric Reform Movement as a complex social process, through the exploration of the memory of the people who participated in its construction. The premise is that the construction of the social movement is in part, a result of its necessary passage through the human dimension, specifically, individual human choices. We have developed studies and further explanation on the main markers of the history of psychiatric reform from the categories of: mental health worker, users and family members, mental health managers and the Italian psychiatric reform organization. The bibliographic survey supported the construction of six narratives, presented through sensory units and elaborated from open interviews with social actors (Brazilian and Italian) identified as protagonists of this process, understanding the macro and micro levels of history as impenetrable and intrinsically related. It is considered that history told at the macro level is constructed dialectically through the experiences of subjects as well as collectives. The work is justified by operating in the preservation of memory, aiming at strengthening the social movement through the denaturation and humanization of its achievements. It considers the importance of the Antimanicomial Struggle as a movement for the development of the Psychiatric Reform in Brazil in relation to the trajectories of the protagonists, the notion of ethical and politically oriented life choices and is built as a basis for the continuous participation in further development
Questo Studio ha avuto come obiettivo storicizzare la traiettoria del Movimento della Riforma Psichiatrica Brasiliana, come processo sociale complesso, attraverso la memoria di persone che hanno partecipato alla sua costruzione. Si è basato sulla premessa che la costruzione del movimento sociale passa necessariamente attraverso la dimensione umana e delle sue scelte. Sono stati sviluppati studi e successivi spiegazioni sui principali indicatori della storia della riforma psichiatrica, avendo come punto di partenza le categorie di lavoratori della salute mentale, associazione di utenti e familiari, gestori pubblici che attuano nell´ambito della salute mentale e l'organizzazione della Riforma Psichiatrica Italiana. L'indagine bibliografica effettuata ha prodotto la costruzione di sei narrazioni suddivise secondo le categorie sopra menzionate, presentate delle unità di senso ed elaborate sulla base di interviste aperte a attori sociali (brasiliani e italiani) identificati come protagonisti di questo processo. Infatti, comprendendo i livelli macro e micro della storia come interpenetrabili e intrinsecamente correlati, si concepisce che la storia raccontata a livello macro è costruita dialetticamente attraverso le esperienze di soggetti e collettivi. La ricerca è giustificata per operare nella conservazione della memoria, mirando a rafforzare il movimento sociale, attraverso la denaturazione e l'umanizzazione delle sue conquiste. È considerata l'importanza del movimento della lotta antimanicomiale per lo sviluppo della riforma psichiatrica in Brasile e, in relazione alle traiettorie dei protagonisti, è costruita la nozione di scelte di vita etiche e politicamente orientate come fondamento per la continua partecipazione al movimento.

Descrição

Palavras-chave

Reforma Psiquiátrica, Luta Antimanicomial, Movimentos Sociais

Como citar