Doses de resíduo sólido orgânico urbano no substrato, associado a regimes de irrigação, na formação de mudas de eucalipto

Carregando...
Imagem de Miniatura

Data

2009-05-22

Título da Revista

ISSN da Revista

Título de Volume

Editor

Universidade Estadual Paulista (Unesp)

Resumo

O objetivo deste trabalho foi avaliar doses de resíduo sólido orgânico urbano no substrato, associado a regimes de irrigação, na formação de mudas de eucalipto. A pesquisa foi desenvolvida no Câmpus da UNESP, de Jaboticabal, localizado a 21º15’22” de latitude sul, 48º18’58”de longitude oeste. Foram utilizados nove substratos, sendo dois latosolos, um vermelho eutroférrico argiloso e outro vermelho distrófico, seis misturas de latossolos com resíduo sólido orgânico urbano dessecado e triturado, não compostado e, este último, puro. Utilizou-se irrigação com quatro regimes (50%, 75%, 100% e 130% dos valores diários determinados) e a avaliação feita em cinco épocas (15, 29, 41, 53 e 79 dias após a semeadura). Foram avaliadas variáveis biométricas da cultura, variáveis químicas dos substratos e regimes de irrigação. Os resultados obtidos indicaram que o Resíduo Sólido Orgânico Urbano (R.S.O.U.) constitui-se fonte de nutrientes para as plantas e material corretivo com atributos químicos semelhantes a adubo mineral e calcário. Para os substratos constituídos com latosolo vermelho eutroférrico argiloso, doses com até 40% de R.S.O.U. não exerceram influência negativa nas plantas. Nos substratos constituídos com latosolo vermelho distrófico, a dosagem máxima para que o R.S.O.U. não influencie na vida das mudas, foi de 20%. Os melhores resultados para as plantas ocorreram o regime de irrigação de 75% do valor diário determinado. A relação C/N foi crescente com o aumento da porcentagem de R.S.O.U. Ao final da pesquisa a maioria dos substratos estavam na faixa entre 1/7,7 a 1/14,7.
The deposition of trash in landfill, controlled landfills, and in its greatest part, in open dumps, pollute the soil and take spaces that could be used for other purposes. In relation to the organic trash, it has been used composted as manure in the agriculture, however, there are many inconveniences caused by this technique, among them contamination, a large used area, the long time of the process and the high cost. The aim of this work was to evaluate the influence of non composted urban organic solid residue dosages, in the substrate, associated to irrigation ways in the formation of Eucalyptus seedlings. The research was developed at the UNESP Campus, in Jaboticabal - SP, Brazil, located at 21º 15’ 22” South latitude, 48º 18’58” West longitude. Nine substrates were used, two latosols, one red clayey Eutroferric and another dystrophic red , six mixtures of latosols with dried and ground urban organic solid residue, non composted and one with pure residue. The irrigation was based on four levels, (50%, 75%, 100% and 130% of the evapotranspiration daily values). The plants behavior evaluation was done in five ages (15, 29, 41, 53 and 79 days after the sowing). It was evaluated the biometric variables of the culture and chemical variables of the substrates. The obtained results indicated that: the Urban Organic Solid Residue (U.O.S.R.) is a source of nutrients for the plants and corrective material, with chemical attributes similar to mineral manure and limestone. For the substrates constituted by red clayey eutroferric latosol, dosages up to 40% of U.O.S.R. did not have a negative influence on the plants. In the substrates constituted by dystrophic red latosol, the maximum dosage, so that the U.O.S.R. did not influence negatively on the lives of the plants, was 20%. The best results for the plants behavior occurred at the irrigation... (Complete abstract, click electronic access below)

Descrição

Palavras-chave

Eucalipto - Mudas, Eucalipto - Irrigação, Substratos, Material orgânico, Water, Irrigation, Organic material, Seedling, Substrate

Como citar

LUI, Jandislau José. Doses de resíduo sólido orgânico urbano no substrato, associado a regimes de irrigação, na formação de mudas de eucalipto. 2009. xx, 108 f. Tese (doutorado) - Universidade Estadual Paulista, Faculdade de Ciências Agrárias e Veterinárias, 2009.