Avaliação da expressão de metaloproteinases, TIMP-1 e da esclerose vascular nas endometrites crônicas das éguas

Carregando...
Imagem de Miniatura

Data

2006

Título da Revista

ISSN da Revista

Título de Volume

Editor

Universidade Estadual Paulista (Unesp)

Resumo

A endometrite é a principal causa de subfertilidade em éguas sendo o processo fibrótico fator limitante no desempenho reprodutivo nesta espécie. Este trabalho teve por objetivos avaliar o colágeno presente nas endometrites crônicas das éguas, a expressão das enzimas que degradam o colágeno e de seus inibidores e as alterações vasculares. 82 biópsias uterinas recebidas na FMVZ, UNESP, Botucatu, SP foram classificadas histologicamente e a fibrose foi avaliada pelos métodos de tricrômico de Masson e picrosirius red. A avaliação vascular foi feita pelo VVG. Verificou-se a expressão das enzimas MMP-1, MMP-2, MMP-7, MMP-9 e TIMP-1 por método imunoistoquímico. A quantidade de colágeno na fibrose endometrial foi maior nas regiões periglandulares, perivasculares e no estrato esponjoso, predominando o colágeno tipo I. Quanto maior o grau de endometrite mais acentuada era a esclerose vascular e a fibroelastose. Não houve diferença na expressão das MMP-1, MMP-2, MMP-7, MMP-9 e TIMP-1 entre éguas normais e com endometrites. Porém houve diferença em relação à intensidade de marcação notando-se que esta aumentava em determinadas regiões do endométrio. As MMPs e o TIMP-1 estão envolvidos nos processos fibróticos endometriais das éguas uma vez que estas enzimas variam em expressão e intensidade de reação conforme o grau de endometrite
Endometritis is the main cause of mare subfertility and the associated uterine fibrotic process is a limitant factor for the reproductive performance. The aim of this work was to evaluate the collagen distribution and type, the enzymes that are responsible for collagen degradation and its inhibitors, and vascular changes in the endometrium of normal and chronic endometritis carrying mares. So a prospective and comparative study was conducted at Veterinary Hospital of Veterinary College UNESP, Botucatu-SP. Eighty-two uterine biopsy were histologically classified in paraffin sections stained with hematoxylin and eosin, Masson's Trichrome and Verhoeff van Gieson (VVG) stains examined under the light microscope. Picrosirius red polarization was also used for collagen evaluation. The MMP-1, MMP-2, MMP-7, MMP-9, and TIMP-1 expressions was obtained by immunohistochemichal method. The collagen concentration in fibrotic endometrium was higher at periglandular, perivascular and stratum spongiosum regions with collagen type I predominance. In the most severe endometritis had more advanced grades of vascular sclerosis and fibroelastosis. No difference was found in MMP-1, MMP-2, MMP-7, MMP-9, and TIMP-1 expressions between normal and chronic endometritis samples, but the immunohistochemical reaction was more intense in some regions of fibrotic endometrium. In conclusion, the MMPs and TIMP-1 showed variation in expression and reaction intensity in the normal and chronic affected endometrium and may plays a hole in the endometrial fibrotic process

Descrição

Palavras-chave

Patologia veterinaria, Equino, Endometrites crônicas, Endometritis

Como citar

NUNES, Louisiane de Carvalho. Avaliação da expressão de metaloproteinases, TIMP-1 e da esclerose vascular nas endometrites crônicas das éguas. 2006. 99 f. Tese (doutorado) - Universidade Estadual Paulista, Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia de Botucatu, 2006.