Influência de bioestimulante no desenvolvimento de plantas de pepino japonês enxertadas e não enxertados em condições de ambiente protegido

Carregando...
Imagem de Miniatura

Data

2009

Título da Revista

ISSN da Revista

Título de Volume

Editor

Universidade Estadual Paulista (Unesp)

Resumo

The aim of this experiment was evaluate the effect of the bioestimulant administered in grafted and non-grafted japanese cucumber (Cucumis sativus L.) plants, under greenhouse conditions, in gas exchanges during the development of the plant and in the increase of yield. The experiment was carried out in the experimental area of Agronomic Sciences University of UNESP, Campus of Botucatu, São Paulo State, Brazil. The experiment design was completely randomized, in a factorial arrangement of 2x5, grafted and non-grafted plants and 5 treatments with bioestimulant: control, indolbutyric acid 0,0005% + citocinine 0,0009% + gibberelic acid 0,005% 250 mL ha-1; indolbutyric acid 0,0005% + citocinine 0,0009% + gibberelic acid 0,005% 375 mL ha-1; indolbutyric acid 0,0005% + citocinine 0,0009% + gibberelic acid 0,005% 500 mL ha-1; Yuca extract (Yucca elephantipes) + manganese + iron + copper + sulfur 375 mL ha-1 applied 15 days after the transplant, in intervals of 7 days between the applications, via leaf. The effect of the treatments were evaluated through the observations of the following characteristics: production of fruits (number and mass), average mass of the fruit and measures of gas exchanges. It can be concluded that indolbutyric acid 0,0005% + citocinine 0,0009% + gibberelic acid 0,005% 250 mL ha-1 increased CO2 assimilation rate and the water efficiency, influencing in addition to increase the quantity of the fruits
O presente trabalho teve como objetivo avaliar o efeito da aplicação de bioestimulantes em pepino japonês (Cucumis sativus L.) enxertado e não enxertado, em condições de ambiente protegido, nas trocas gasosas durante o desenvolvimento da planta e no aumento da produção de frutos. O experimento foi conduzido em área experimental da Faculdade de Ciências Agronômicas da Universidade Estadual Paulista, Campus de Botucatu- SP. O delineamento experimental adotado foi inteiramente casualisado, em esquema fatorial 2x5, 2 tipos de plantas de pepino, enxertada e não enxertada, e 5 tratamentos com bioestimulante: testemunha, ácido indolbutírico 0,0005% + cinetina 0,0009% + ácido giberélico 0,005% 250 mL ha-1; ácido indolbutírico 0,0005% + cinetina 0,0009% + ácido giberélico 0,005% 375 mL ha-1; ácido indolbutírico 0,0005% + cinetina 0,0009% + ácido giberélico 0,005% 500 mL ha-1; extrato de Yuca (Yucca elephantipes) + manganês + ferro + cobre + enxofre 375 mL ha-1 aplicados aos 15 dias após o transplante das mudas à intervalos de 7 dias entre as aplicações, via foliar. O efeito dos tratamentos foi avaliado através das observações das seguintes características: produção de frutos (número e massa), massa média do fruto e medidas de trocas gasosas. Pôde-se concluir que o ácido indolbutírico 0,0005% + cinetina 0,0009% + ácido giberélico 0,005% a 250 mL ha- -1 aumentou a taxa de assimilação de CO2 e a eficiência do uso da água assim influenciando o aumento na quantidade de frutos

Descrição

Palavras-chave

Ciências biológicas, Pepino

Como citar

MACEDO, Ana Claudia. Influência de bioestimulante no desenvolvimento de plantas de pepino japonês enxertadas e não enxertados em condições de ambiente protegido. 2009. 1 CD-ROM. Trabalho de conclusão de curso (bacharelado - Ciências Biológicas) - Universidade Estadual Paulista, Instituto de Biociências de Botucatu, 2009.