Avaliação da composição química de óleos extraídos de sementes de abóboras (Cucurbita sp)

Carregando...
Imagem de Miniatura

Data

2011-02-25

Título da Revista

ISSN da Revista

Título de Volume

Editor

Universidade Estadual Paulista (Unesp)

Resumo

Cresce a busca por alimentos mais saudáveis, principalmente de origem vegetal, que são constituídos por substâncias benéficas ao organismo. Essas substâncias, denominadas de compostos bioativos, ajudam na redução do risco de doenças crônico-degenerativas e outras. Dentre esses alimentos, encontram-se os frutos. Porém, ainda são escassas as informações sobre a composição nutricional de certos frutos, principalmente no que se refere ao valor nutricional dos resíduos gerados em seu processamento. Assim, o presente trabalho teve como objetivo avaliar a composição centesimal de sementes de frutos da família Cucurbitaceae cultivadas no Brasil e caracterizar os seus óleos a fim de identificar compostos bioativos para a possível aplicação em alimentos. As sementes de abóboras das variedades Nova Caravela, Mini Paulista, Menina Brasileira (Cucurbita moschata) e Moranga de Mesa (Cucurbita maxima) foram caracterizadas quanto à umidade, lipídios, proteínas, cinzas e carboidratos totais, e os óleos dessas sementes quanto às propriedades físico-químicas, além do perfil de ácidos graxos, teores de tocoferóis, carotenoides e compostos fenólicos totais. Os resultados foram submetidos à análise de variância e as diferenças entre as médias foram testadas a 5% de probabilidade pelo teste de Tukey, por meio do programa ESTAT, versão 2.0. Verificou-se que todas as sementes possuem composição centesimal semelhante, apresentando teores relativamente elevados de lipídios (33-42%) e proteínas (29- 34%). Com relação às propriedades físico-químicas, todos os óleos apresentam valores dentro das faixas características dos óleos vegetais comestíveis. Os principais ácidos graxos encontrados foram o linoleico (40-47%) e oleico (28-30%), que perfizeram um total de 70 a 78%, sendo o óleo das sementes das abóboras da variedade Moranga de Mesa o mais insaturado...
The search for healthier foods is increasing, mainly for the ones of vegetable origin, which are composed of substances that are beneficial to the organism. These substances, known as bioactive compounds, help reduce the risk of chronic degenerative diseases and others. Fruits are among these foods. However, there still is little information about the nutritional composition of certain fruits, especially regarding the nutritional value of the waste generated by their processing. Thus, this study aimed to analyze the proximate composition of seeds from Cucurbitaceae fruit family, grown in Brazil and to characterize their oils, in order to identify bioactive compounds for possible application in food. The seeds from Nova Caravela, Mini Paulista, Menina Brasileira (Cucurbita moschata) and Moranga de Mesa (Cucurbita maxima) pumpkin varieties were characterized as moisture, lipids, proteins, ash and total carbohydrates, and the oils from these seeds, as to their physicochemical properties, as well as the fatty acid profile, the levels of tocopherols, carotenoids and total phenolic compounds. The results were subjected to variance analysis and the differences between means were tested at 5% probability by Tukey test, using the ESTAT program, version 2.0. It was found that all seeds have similar composition, with relatively high levels of lipids (33-42%) and protein (29-34%). About the physicochemical properties, all the oils present values within the range for edible vegetable oils. The main fatty acids found were linoleic (40-47%) and oleic (28-30%), which totalized 70 to 78%, highlighting Moranga de Mesa seed oil as the most unsaturated one. Regarding total tocopherols, Menina Brasileira stood out (386.43 mg/kg). However, regarding the carotenoids and phenolic compounds, Mini Paulista stood out, with 26.8 µg/g and 3.62 mg GAE/g, respectively

Descrição

Palavras-chave

Tecnologia de alimentos, Oleos e gorduras, Sementes oleaginosas, Alimentos funcionais, Compostos bioativos, Abóbora - Semente, Óleos vegetais, Cucurbita moschata, Cucurbita maxima, Waste recovery, Bioactive compounds

Como citar

VERONEZI, Carolina Médici. Avaliação da composição química de óleos extraídos de sementes de abóboras (Cucurbita sp). 2011. 78 f. Dissertação (mestrado) - Universidade Estadual Paulista, Instituto de Biociências, Letras e Ciências Exatas, 2011.