Influência da adição de nanopartículas na estabilidade de cor, microdureza e resistência à flexão de resina específica para confecção de próteses oculares

Carregando...
Imagem de Miniatura

Data

2014-01-31

Título da Revista

ISSN da Revista

Título de Volume

Editor

Universidade Estadual Paulista (Unesp)

Resumo

Uma alternativa segura para reabilitar pacientes com anoftalmia é a utilização de próteses oculares. O conhecimento das propriedades físicas e mecânicas da resina acrílica utilizada na confecção destas próteses é de suma importância. Nanopartículas vêm sendo adicionadas à cadeia polimérica das resinas com o objetivo de melhorar essas propriedades. Assim, o propósito desse estudo foi avaliar a influência da adição de nanopartículas na estabilidade de cor, microdureza e resistência à flexão da resina acrílica N1 específica para confecção da esclera artificial. Para isso, foram confeccionadas 300 amostras. As nanopartículas utilizadas foram Óxido de Zinco (ZnO), Dióxido de Titânio (TiO2) e Sulfato de Bário (BaSO4), nas concentrações de 1, 2 e 2,5%. As amostras foram distribuídas em 10 grupos (n=30) de acordo com o tipo e concentração de nanopartícula associada à resina acrílica N1: controle - sem nanopartícula (C), óxido de zinco 1% (ZnO 1%), óxido de zinco 2% (ZnO 2%), óxido de zinco 2,5% (ZnO 2,5%), dióxido de titânio 1% (TiO2 1%), dióxido de titânio 2% (TiO2 2%), dióxido de titânio 2,5% (TiO2 2,5%), sulfato de bário 1% (BaSO4 1%), sulfato de bário 2% (BaSO4 2%), sulfato de bário 2,5% (BaSO4 2,5%). Os ensaios de leitura de cor, microdureza e resistência à flexão foram realizados antes e após 1008 horas de envelhecimento acelerado. Os dados obtidos foram submetidos à análise estatística, utilizando-se os testes de nested ANOVA e teste de Tukey. Os resultados demonstraram que, comparando-se as diferentes nanopartículas, os grupos com TiO2 apresentaram melhor estabilidade de cor, para todas as concentrações. Em relação ao teste de microdureza, com exceção dos grupos C e com adição de óxido zinco, os valores de microdureza aumentaram após envelhecimento, sendo que, nas concentrações de 1 e 2%, os grupos com...
A safe, aesthetic and satisfactory alternative to rehab patients with anofthalmia is the use of ocular prosthesis. It is very important to know about the physical and mechanical properties of the acrylic resin used on this prosthesis production. Nanoparticles have been added to the acrylic resins polymeric chain in order to improve these properties. So, this study aims to assess the influence of nanoparticles addition on the color stability, microhardness, and flexural resistance of artificial sclera N1 acrylic resin. To this purpose, 300 samples were made. The nanoparticles used were Zinc Oxide (ZnO), Titanium Dioxide (TiO2) and Barium Sulfate (BaSO4), at the concentrations of 1, 2 and 2%. Samples were divided into 10 groups (n=30), according to the nanoparticle and concentration associated with the resin: control – without nanoparticle (C); zinc oxide 1% (ZnO 1%) ; zinc oxide 2% (ZnO 2%); zinc oxide 2,5% (ZnO 2,5%); titanium dioxide 1% (TiO2 1%); titanium dioxide 2% (TiO2 2%); titanium dioxide 2,5% (TiO2 2,5%); barium sulfate 1% (BaSO4 1%), barium sulfate 2% (BaSO4 2%); barium sulfate 2,5% (BaSO4 2,5%). The color stability, microhardness and flexural resistance tests were performed before and after 1008 hours of accelerated aging. Data were subjected to statistical analysis using nested ANOVA and Tukey test. The results showed that, comparing the different nanoparticles, the groups with TiO2 showed better color stability at all concentrations. Microhardness values increased after artificial aging, except for groups C and ZnO and groups with TiO2 at 1 and 2% showed the highest statistically significant values compared with the other nanoparticles. Regarding flexural strength, at initial period, there was statistically significant difference between control group and the other groups. By comparing the periods, the C group...

Descrição

Palavras-chave

Resinas acrilicas, Olhos artificiais, Cor, Dureza, Nanopartículas, Acrylic resins

Como citar

ANDREOTTI, Agda Marobo. Influência da adição de nanopartículas na estabilidade de cor, microdureza e resistência à flexão de resina específica para confecção de próteses oculares. 2014. 98 f. Dissertação (mestrado) - Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho, Faculdade de Odontologia de Araçatuba, 2014.