Abordagem construcional dos pronomes "a gente" e "você" em construções de indeterminação do sujeito

Carregando...
Imagem de Miniatura

Data

2022-05-20

Título da Revista

ISSN da Revista

Título de Volume

Editor

Universidade Estadual Paulista (Unesp)

Resumo

Neste trabalho, analisamos a indeterminação do sujeito no português brasileiro (PB), objetivando descrever duas estratégias de indeterminação não canônicas instanciadas pela referência genérica, não dêitica, das construções pronominais [a gente] e [VOCÊ]. Buscamos reunir evidências empíricas para a hipótese de que a referenciação genérica no uso dessas construções pronominais é resultante de processos de mudança construcional pós-construcionalização, dadas suas trajetórias na história do português, diferentemente de outras construções pronominais que também operam a mesma estratégia, mas que sempre se mantiveram estáveis no sistema pronominal. [A gente], por ser originalmente expressão nominal referencial genérica não-dêitica, no tempo, passa a expressão pronominal genérica, servindo de estratégia de indeterminação do sujeito, e, só mais tardiamente, é usada como expressão pronominal dêitica de referência à primeira pessoa do plural. [VOCÊ], sendo em sua origem forma de tratamento dêitica de referência específica, no tempo, amplia seu caráter dêitico, passando a ser usada como expressão pronominal de referência à segunda pessoa do singular, e, só mais tardiamente, é usada como proforma para indeterminação do sujeito. Adotamos como referencial teórico os Modelos Baseados no Uso (BARLOW; KEMMER, 2000) e a abordagem construcional de mudança linguística (TRAUGOTT; TROUSDALE, 2013). A metodologia da pesquisa contempla duas etapas: (i) investigar os contextos de mudança por que essas construções passaram, recorrendo a trajetórias de mudanças já amplamente documentadas por trabalhos diacrônicos (LOPES, 2003; RUMEU, 2008), e interpretá-las na abordagem construcional da mudança, e (ii) com base em amostras do PB falado no interior paulista (GONÇALVES, 2007), fazer um levantamento quantitativo dessas construções a fim de analisar qualitativamente o grau de sedimentação de cada uma delas à luz de parâmetros de forma e de função/significado. Consideradas as trajetórias diferentes de mudança das construções pronominais [a gente] e [VOCÊ], a hipótese confirmada é a de que a construção com [VOCÊ] é mais produtiva do que a com [a gente], o que se confirma pelos resultados discutidos neste trabalho. [VOCÊ] apresenta maior frequência de ocorrência e de tipo em todos os contextos analisados, apresentando maior número de colocados em seu esquema.
In this dissertation, we analyze indeterminate subject in Brazilian Portuguese (BP), aiming at descriptions of two non-canonical strategies of subject indetermination instantiated by the generic, non-deictic reference of the pronominal constructions [a gente] and [VOCÊ]. We seek to gather empirical evidence for the hypothesis that generic referencing in the use of these pronominal constructions results from post-constructionalization constructional change processes, given their trajectories in Portuguese history, unlike other pronominal constructions that also operate the same strategy, but which have always remained stable in the pronominal system. [A gente], as it is a non-deitic generic referential nominal expression, in time, it becomes the generic pronominal expression, serving as a strategy of indetermination of the subject, and, only later, it is used as a deictic pronominal expression of reference to the first person do plural. [VOCÊ], being in its origin a form of deictic treatment of specific reference, without time, it expands its deictic character, starting to be used as a pronominal expression referring to the second person singular, and, only later, is it used as a proforma for indeterminacy of the subject. We adopted as a theoretical framework Usage-Based Models (BARLOW; KEMMER, 2000) and a constructional approach to language change (TRAUGOTT; TROUSDALE, 2013). The research methodology comprises two steps: (i) to investigate the contexts of change that these constructions have gone through, using trajectories of change already widely documented by diachronic works (LOPES, 2003; RUMEU, 2008), and interpreting them in the constructional approach of change, and (ii) based on the BP spoken in the countryside of São Paulo (GONÇALVES, 2007), carry out a quantitative survey of these constructions in order to qualitatively analyze the degree of productivity of each one of them. Considering the different trajectories of change of the pronominal constructions [a gente] and [VOCÊ], we expected that this would be more productive than that, which is confirmed by the results discussed in this dissertation. [VOCÊ] have a higher frequency of occurrence and type in all contexts of form, higher number of elements in your schema.

Descrição

Palavras-chave

Indeterminação do sujeito, Pronomes, Modelos baseados no uso, Indeterminate subject, Pronouns, Usage-based models

Como citar