O percurso de formação das personagens infantis em Guimarães Rosa

Carregando...
Imagem de Miniatura

Data

2007-06-28

Título da Revista

ISSN da Revista

Título de Volume

Editor

Universidade Estadual Paulista (Unesp)

Resumo

Neste trabalho, parte-se do pressuposto de que as personagens infantis, em diferentes narrativas, realizam a trajetória de formação que caracteriza sua inserção no mundo adulto. Essa caminhada para o conhecimento e a maturidade permite aproximar o conjunto de narrativas rosianas, cujo tema é o universo infantil, às narrativas denominadas de romance de formação. O objetivo é mostrar que a trajetória de aprendizado não se faz sem conflitos; o imaginário infantil entra em confronto direto com o mundo adulto. De um lado, o espaço exterior da natureza torna-se modelar, ensina lições, contribuindo para o processo de amadurecimento da personagem; de outro, o espaço interior - ora vislumbrado pela voz do narrador, ora pela voz da personagem - reflete os medos e incertezas dessa passagem. Em sua trajetória de aprendizagem, as personagens descobrem as dores da perda desde pequenos acontecimentos até a morte de entes queridos. Os ensinamentos também chegam pela natureza, que está em contato direto com as personagens, tornando-se espaço de refúgio para a dor de conhecer a existência. Para examinar tais conflitos do imaginário e a formação das personagens infantis em Rosa, foram selecionados os contos Conversa de bois, de Sagarana, Os cimos, As margens da alegria, Partida do audaz navegante, Pirlimpsiquice, Nenhum, nenhuma, de Primeiras Estórias e Campo geral, de Manuelzão e Miguilim. Observa-se, no tratamento dispensado ao mundo infantil, de Sagarana aos contos de Primeiras Estórias - obra que se constrói em narrativas curtas, propiciando certo hermetismo em muitas delas - a formação da criança, apresentada no plano da história e do discurso.
In this work, we begin from the presupposition that the infant personages, in different narratives, help in the formation trajectory which characterizes their insertion in the adult world. That hiking toward the knowledge and maturity allows the rosianas connection, which theme is the children's universe to narratives named formation novel. Our goal is to show that the learning trajectory is not done without conflicts; the children's imaginary has a direct confront to the adult world. On one side, the natural external space becomes a model, teaches lessons, contributing to the ripening process of the personage, on the other side, the inner space - through the narrator talk or through the personage talk - reflects fear and incertitude of such passage. In their learning trajectory, the personages find out the pains of small happenings up to the dead of lovely dears. The nature also teaches them because it is in close contact with their personages, becoming a hideout to their pain in knowing the existence. To examine such conflict of their imaginary and the formation of infant personages in Rosa, the Conversa de Bois (Oxen talk), of Sagarana, Os cimos (The tops), As margens da alegria (In the happiness border), Partida do audaz navegante (The fearless navigator departure), Pirlimpsiquice, Nenhum, Nenhuma (No one, no one), of Primeiras Estórias (First Stories) and Campo geral (General field), of Manuelzão and Miguilim tales were chosen. In the treatment given to the children world, we could observe from the Sagarana to the Primeiras Estórias (First stories) - the work is built on short narratives, giving a hermetic aspect in many of them - the child formation, shown on discourse and history plans.

Descrição

Palavras-chave

Rosa, João Guimarães, 1908-1967, Literatura brasileira - Narrativa, Personagens literários

Como citar

NOGUEIRA, Maria Carolina de Godoy. O percurso de formação das personagens infantis em Guimarães Rosa. 2007. 178 f. Tese (doutorado) - Universidade Estadual Paulista, Faculdade de Ciências e Letras de Araraquara, 2007.