A clínica no espaço público: vivência de atores envolvidos no processo de acompanhamento terapêutico (AT)

Carregando...
Imagem de Miniatura

Data

2011-02-21

Título da Revista

ISSN da Revista

Título de Volume

Editor

Universidade Estadual Paulista (Unesp)

Resumo

A literatura em Acompanhamento Terapêutico (AT) demonstra crescente número de estudos sobre as diversas variáveis que caracterizam esta modalidade clínica, revelando pouca exploração da natureza da participação dos acompanhados e dos familiares neste processo. O objetivo desta trabalho foi descrever e analisar cinco casos atendidos na modalidade do AT, identificando vivências, funções desempenhadas pelos acompanhantes terapêuticos (ats) e resultados do processo por meio do discurso desses sujeitos. Em cada caso, foram realizadas entrevistas gravadas e posteriormente transcritas com os participantes de cada processo de AT: ats, acompanhados e familiares. As entrevistas foram analisadas e os dados foram categorizados, de acordo com a técnica de análise de conteúdo de Bardin. Os resultados foram organizados segundo as categorias obtidas, analisando-se e comparando-se as vivências dos atores envolvidos no processo de AT no processo de AT, com base nos pressupostos da teoria psicanalítica. As vivências dos pacientes apontam para o AT como um dispositivo terapêutico integrador e antisegregador, por se consolidar em um lugar de ancoragem para as mais diversas angústias, além de instrumento de valorização da subjetividade e reconstrução social. As ats trazem com vivência a preocupação quanto à constituição deste local de ancoragem, capaz de ser continente para o que nele necessita se contido, e referenciam o espaço da supervisão e a troca grupal com ponto de ancoragem para suas próprias angústias durante o processo. A figura materna é prevalente como participante familiar nos processos de AT estudados. Os dados das vivências maternas revelaram que, se por um lado, a figura do at representou acolhimento, companheirismo e proteção, por outro lado, ele aparece como eliciadora de invasão e desconfiança. Conclui-se que o processo de AT, além de auxiliar...
The literature on Therapeutic Accompaniment (TA) shows an increasing number of studies about the several variables which characterize this clinic modality, reveling little exploration of the nature of the participation of the accompanied ones and their families in this process. The objective of this work was to describe and analyze five cases attended in this process. The objective of this work was to describe and analyze five cases attended in this modality of the TA, identifying experiences, functions performed by the therapeutic companions (TCs) and results of the process by means of the process by means of these individuals speeches. In each case, recorded interviews were done and they were later trasncribed with the participants of each process of TA: companions, accompained ones and family. The interviews were anlyzed and the data were categorized according to Bardin's content analysis technique. The results were organized according to the categories obtained, analyzing and comparing the experiences of the actors involved in the TA process, based on the psychoanalytic theory assumptions. The patients experiences indicate TA as a therapeutic, integrador and anti-segregating device, because it consolidates in a place of various agonies, besides being instrument of subjectivity appreciation and social reconstruction. The companions bring as experience the worry about the constitution of the place of anchorage, able to be continent to what needs to be kept in it, and cite the supervision space and the group exchange as an anchorage spot for their own agonies during the process. The mother figure is prevalent as a family participant in the TA processes studies. The data of maternal experiences reveated that, if on one hand, the companion figure represented reception, companionship and protection, on the otheir hand, it appears as invasion and distrust eliciting... (Complete abstract click electronic access below)

Descrição

Palavras-chave

Acompanhamento terapêutico, Análise de conteúdo, Psicanalise, Saude, Therapeutic accompaniment (TA), Bardin's content analysis, Psychodynamic, Psychoanalysis, Health

Como citar

MACEDO, Simone Pantaleão. -. A clínica no espaço público: vivência de atores envolvidos no processo de acompanhamento terapêutico (AT). 2011. 149 f. Dissertação (mestrado) - Universidade Estadual Paulista, Faculdade de Ciências, 2011.