Heroísmos, sedições e heresias: a construção do ufanismo e do ressentimento nos sertões da capitania de São Paulo (1768-1774)

Carregando...
Imagem de Miniatura

Data

2008-08-15

Título da Revista

ISSN da Revista

Título de Volume

Editor

Universidade Estadual Paulista (Unesp)

Resumo

O trabalho pretende apresentar uma abordagem no campo da história cultural ao privilegiar uma análise sobre o problema da construção do ufanismo e do ressentimento na formação da identidade luso-brasileira. Entendendo que o ufanismo e o ressentimento são comportamentos humanos subjetivos, complexos e contraditórios, identifiquei inicialmente a sua manifestação no Brasil colonial nos embates entre “paulistas” e “forasteiros” na região das Minas Gerais (Guerra dos emboabas, 1708-1709). Posteriormente, entre 1768 e 1774, durante o governo de Dom Luis Antônio de Souza Botelho Mourão (Morgado de Mateus), na capitania de São Paulo analisei como a construção da história paulista não só retomava as pendências (culturais, sociais, políticas e jurídicas) da Guerra dos Emboabas, mas também se estruturava em ressentimentos pessoal, coletivo e político. Sob um novo enfoque, foi analisada a documentação de André João Antonil, o códice Matoso, os pressupostos dos historiadores Frei Gaspar da Madre de Deus, Pedro Taques de Almeida Paes Leme, Francisco Tossi Columbina, Cláudio Manuel da Costa, Theotônio José Juzarte e, finalmente, a documentação de Afonso Botelho de Sampaio e Souza que consta de relatórios militares, correspondências e poesias. Identificou-se nestas fontes que o ufanismo e o ressentimento eram sensibilidades em oposição e correspondência, e estavam ligadas a uma identidade paulista fundamentada na contradição e na negação da realidade colonial. Seguindo este percurso, foram analisadas as ações e reações às manipulações sociais,...
This work intends an approach in the history cultural field in order to give advantages to an analysis about the problem of ufanism construction and the resentment in the formation of Portuguese-Brazilian identity. In order to understand that ufanism and the resentments are subjective, complex and contradictories human behaviors, It was first identified their manifestation in the Brazil colony in the from contends between “natives of São Paulo” and “outsiders” (called emboabas) in the region of Minas Gerais (Emboadas War 1707-1709). After that, among 1768 and 1774, in the government of Dom Luis Antônio de Souza Botelho Mourão (Morgado de Mateus), in the capitany of São Paulo, It was analyzed how the construction of Paulistan history , not only retook the (culture, social, politics and juridical) pendencies of Emboadas War, but also it structured themselves as personal, collective an politic resentment. These sensibilities appeared in Brazil from contends between “paulistans” or “natives of São Paulo” and “outsiders” (called emboabas) in the region of Minas Gerais (1707-1709). Later in the XVIII century, the ufanismo retook those pending contends being definitively structured by Paulistans in Historians into the conflicting process and social negotiation. By a new point of view it was focused on the documentation of André João Antonil, the Códice Matoso, the historian’s presuppositions Frei Gaspar da Madre de Deus, Pedro Taques de Almeida Paes Leme, Francisco Tossi Columbina, Cláudio Manuel da Costa, Theotônio José Juzarte, and finally the documentation of Afonso Botelho de Sampaio e Souza ...(Complete abstract, click electronic access below)

Descrição

Palavras-chave

Brasil História Séc. XX, Identidade, São Paulo (Estado) História, Culture-History, History of Brazil - century XVIII, Identity, Mourão, Luis Antonio de Souza Botelho, 1722-1798, São Paulo (State) - History

Como citar

KOBELINSKI, Michel. Heroísmos, sedições e heresias: a construção do ufanismo e do ressentimento nos sertões da capitania de São Paulo (1768-1774). 2008. 250 f. Tese (doutorado) - Universidade Estadual Paulista, Faculdade de Ciências e Letras de Assis, 2008.