Impacto do estresse induzido pela privação de água e alimento por 48 horas e da suplementação com fontes de minerais sobre o metabolismo e desempenho de bovinos nelore recriados a pasto durante o período seco

Carregando...
Imagem de Miniatura

Data

2023-02-27

Título da Revista

ISSN da Revista

Título de Volume

Editor

Universidade Estadual Paulista (Unesp)

Resumo

Dois estudos foram conduzidos para investigar como 2 fontes de minerais Cu e Zn e a privação de água e alimento por 48 horas afetam o metabolismo e desempenho de bovinos Nelore recriados a pasto. No primeiro estudo, vinte animais Nelore, castrados, canulados no rúmen (peso corporal (PC):350 kg ± 132 kg; 20 meses) foram blocados por PC e distribuídos aleatoriamente em baias individuais, em um arranjo fatorial 2 x 2. O primeiro fator foi: suplementação com minerais Cu e Zn (1) inorgânico (ING; óxido de zinco e sulfato de cobre) ou (2) hidroxilado (HDX; Selko ®IntelliBond®, Indianapolis, USA). O segundo fator foi: (1) animais com acesso regular a água e alimento (SPRIV) ou (2) com privação de água e alimentos por 48 horas (CPRIV). O período experimental durou 57 dias e foi dividido em 2 períodos: (1) adaptação de d-21 a d-1 e (2) avaliação de d0 a d 36. A digestibilidade e consumo foram avaliados em d3-d5, d11-d13 e d32-d34. Os parâmetros ruminais foram mensurados no d0-d2, a cada 12 horas e em d-2, d7, d15 e d36. A privação não afetou (P = 0,294) o consumo de matéria seca e o consumo de nutrientes, mas uma interação entre privação × período foi detectada (P = 0,027) para digestibilidade da matéria seca (DMS), matéria orgânica (DMO), fibra insolúvel em detergente neutro (DFDN) e fibra insolúvel em detergente ácido (DFDA). CPRIV apresentou maior a DMS, DMO, DFDN e DFDA nos d3-d5. No entanto, CPRIV apresentou menor digestibilidade em períodos mais prolongados, como da MS d11-d13 e d32-d34, da MO no período de d11-d13, e das frações fibrosas no período de d32-d34. HDX tendeu a aumentar o consumo de matéria seca e consumo de nutrientes (P = 0,075). Houve tendencia de HDX (P = 0,099) aumentar DFDN em 1,6 pontos percentuais em relação a ING. Durante d0 a d2 a concentração de ácidos graxos voláteis (AGV) reduziu de 62,3 para 20,1 mMol/dL, enquanto o pH ruminal aumentou 7,3 para 8,2 (Interação privação x horário; P <0,001) em CPRIV. A proporção de acetato aumento em CPRIV até 24 horas de privação, mas ao final das 48 horas foi semelhante entre CPRIV e SPRIV (Interação privação x horário; P = 0,002). As proporções de propionato e butirato reduziram enquanto as de Isobutirato, isovalerato (P <0,001) e valerato (P = 0,055) aumentaram em CPRIV (Interação privação x horário). A concentração de nitrogênio amoniacal ruminal foi menor as 12 horas e maior as 24 horas em CPRIV (Interação privação x horário; P < 0,001). No experimento 2, oitenta e quatro animais Nelores machos, não castrados (PC = 260 kg ± 35 kg) foram atribuídos a piquetes de Brachiaria brizantha cv. Marandu por 131 dias em delineamento de blocos casualizados com arranjo fatorial (2 x 2). Dentro dos blocos os animais foram distribuídos aleatoriamente entre os tratamentos. As concentrações séricas de ureia e ácidos graxos não esterificados foram maiores nos dias 2 e 7 em animais privados e posteriormente tornaram-se semelhantes entre os tratamentos (interação privação x dia; P = 0,006). Proteína total e aspartato aminotransferase séricos foram maiores no dia 2 em CPRIV e posteriormente diferenças deixaram de existir (interação privação x dia; P = 0,080). As concentrações de albumina (p = 0,033) e glicose (p = 0,080) foram maiores em CPRIV. Animais HDX apresentaram menor pico de ureia no dia 2 e seus valores se mantiveram inferiores no dia 12 e 105 (interação mineral × período; P = 0,029). A concentração de Cu no fígado foi maior em SPRIV/HDX (interação mineral x privação; P = 0,003), enquanto a concentração de Zn no fígado foi semelhante entre tratamentos (P = 0,121). Foi detectado interação entre privação × período (P < 0,001) para peso corporal e GMD. Animais CPRIV apresentaram perda de 34,5 kg o que resultou em menor peso corporal no dia 2. Nos primeiros dias após a privação (dia 2 ao 12) os animais CPRIV apresentaram maior GMD e recuperaram o peso perdido, mantendo PC semelhante os tratamentos. A partir do dia 12 o desempenho foi similar entre os tratamentos. Em conclusão, a privação de água e alimento impactou parâmetros de digestibilidade de nutrientes e fermentação ruminal a curto e longo prazo. Após a privação, os animais foram capazes de recuperar o PC, resultando em nenhuma diferença de desempenho entre animais privados de água e alimento e sem privação. Além disso, a suplementação com Cu e Zn hidroxilado aumentou Cu no fígado e tendeu a aumentar o consumo de matéria seca e digestibilidade da FDN, mas não foi capaz de alterar o desempenho.
Two studies were conducted to investigate how the supplementation of 02 trace mineral (TM) sources of Cu and Zn and 48-hours water/feed deprivation would affect performance and metabolism of grass-fed beef cattle. In the first study, Twenty castrated and rumen-canulated Nellore steers (BW = 350 kg ± 132 kg; 20m) were blocked by BW and randomly distributed in individual pens, in a 2 x 2 factorial arrangement: supplemental Cu and Zn sources from inorganic (ITM; sulfate) vs. hydroxy (HTM, Selko ®IntelliBond®, Indianapolis, USA); and 48- hours deprivation (WFD) vs. unrestricted (WFU) access to water and feed. The 57d of study was divided in two periods: (1) Adaptation from -21d to -1d and (2) evaluation from 0d to 36d. Intake and nutrient digestibility were evaluated on 3d-5d, 11d-13d and 32d-34d. Ruminal parameters were measured during deprivation period on d0-d2, every 12h, and on -2d, 7d, 15d and 36d. Deprivation did not affect (P>0.10) DMI and nutrient intake, although interaction between deprivation x period was detected (P<0.05) for DMD, OMD, NDFD and ADND. WFD increased DMD, OMD, NDFD and ADFD shortly after the deprivation period (3d-5d), However, deprivation interrupted digestibility in longer periods, such as 11d-13d and 32d-34d. HTM tended to increase DMI and nutrients intake (P=0.075) and NDFD in 1.6% compared ITM. Several ruminal parameters were affected by deprivation: VFA concentration decreased from 62.3 to 20.1 mMol/dL, while rumen pH increased from 7.3 to 8.2 (deprivation x time; P<0.05); decreased propionate, butyrate and increased isobutyrate, isovalerate and valerate, lower ruminal ammoniacal nitrogen at 12 hours and higher at 24 hours in WFD (deprivation x time; P<0.05), respectively. In the second study, eighty-four intact Nellore males (BW=260 kg ± 35 kg) were blocked by BW and randomly assigned to Urochloa brizantha cv. Marandu paddocks for 131d in a 2X2 factorial arrangement. Within the blocks, animals were randomly distributed among the same treatments as describe in study 1. WFD animals increased serum urea and NEFA 2d and 7d (deprivation x day; P<0.05); increased AST and total protein on 2d (deprivation x day; P=0.080), and increased albumin (P=0.033) and glucose (P=0.080). HTM lowered urea peak on 2d and remained lower on 12d and 105d (mineral × period; P<0.05). Liver Cu was higher in WFU/HTM animals (mineral x deprivation; P<0.05). Interaction between deprivation × period (P<0.05) was detected for BW and ADG. WFD lost 34.5 kg, resulting in lower BW on 2d. on 2d and 12d after deprivation, WFD increased ADG and recovered the BW lost. On 12d, no performance differences between treatments (P>0.10). In conclusion, water and feed deprivation impact nutrient digestibility and ruminal fermentation parameters in short and long-term. After deprivation, animals were able to compensate, recovering BW faster, resulting in no performance differences between deprived and unrestricted feed and water. Additionally, the supplementation of hydroxy Cu and Zn increased liver Cu and tended to increase DMI and NDFD, but was not able to change the performance.

Descrição

Palavras-chave

Bovinos de corte, Cobre, Estresse, Mineral hidroxilado, Zinco

Como citar