O Acampamento Marielle Vive: da desigualdade socioespacial à luta pela terra contra a especulação imobiliária em Valinhos/SP

Carregando...
Imagem de Miniatura

Data

2023-03-31

Orientador

Welch, Clifford Andrew

Coorientador

Pós-graduação

Desenvolvimento Territorial na América Latina e Caribe - IPPRI 33004013068P6

Curso de graduação

Título da Revista

ISSN da Revista

Título de Volume

Editor

Universidade Estadual Paulista (Unesp)

Tipo

Dissertação de mestrado

Direito de acesso

Acesso abertoAcesso Aberto

Resumo

Resumo (português)

A presente pesquisa tem como objetivo analisar e debater sobre o Acampamento Marielle Vive (MV) do MST, em Valinhos/SP, onde cerca de 450 famílias vivem e lutam por reforma agrária desde 2018. O território MV é concebido através da luta por terra contra o capital imobiliário, representado pela Fazenda Eldorado Empreendimentos Imobiliários, que possui a propriedade da Fazenda Eldorado irregularmente improdutiva até ser ocupada pelos sem-terra que colocam em xeque a expansão descontrolada da especulação nesta região onde predomina a territorialização de condomínios horizontais de luxo. Na realização deste enfrentamento, são muitos desafios colocados cotidianamente para as famílias sem-terra, como falta de água, assassinato, risco de despejo, situação estrutural precária, entre tantos. Não obstante, a resposta dos sem-terra é dada através da organização e participação popular para encontrar as saídas para a superação das contradições. Pretende-se, a partir deste território, estudar a atualidade da luta pela terra em contextos metropolitanos, a característica do sujeito Sem Terra advindo das periferias da Região Metropolitana de Campinas (RMC), os desafios postos a organização dos trabalhadores e trabalhadoras frente a crise estrutural do capital e seus atuais desdobramentos, identificar características da luta por terra contra a especulação imobiliária e as estratégias de domínio rural utilizadas por este setor em Valinhos/SP. Para a realização da dissertação, foram utilizadas metodologias de quantitativas e qualitativas, inclusive entrevistas, levantamento de documentos e observação, bem como pesquisa participante.

Resumo (inglês)

This study analyzes and discusses the Marielle Vive (MV) MST Encampment in Valinhos, São Paulo, where about 450 families have lived and fought for agrarian reform since 2018. Valinhos is a town located in the greater metropolitan region of the city of Campinas (RMG). The MV territory is conceived through the struggle for land against real estate capital, especially the Fazenda Eldorado Empreendimentos Imobiliários, which bought the Fazenda Eldorado, an abandoned plantation that was classified as unproductive, making it subject to expropriation and settlement as an agrarian reform project. However, the landless workers who occupied it, made the land productive. The landless occupation challenges the territorialization of land speculation in the region, a process that has seen the construction of many horizontal luxury condominiums – that is to say, gated communities of single-family dwellings on large lots. In their confrontation of the gated-community model of farmland transformation, the landless families face many daily challenges, such as the risk of eviction, water shortages, inadequate infrastructure, precarious shelters, and even murder. However, oriented by the Landless Workers Movement (MST), the landless have developed internal organization and cultivated broad popular participation to mutually overcome these challenges and carry on the struggle. From the example of this territorial dispute, the dissertation examines the contemporary struggle for land in metropolitan contexts, including key demographic characteristics of the landless and the challenges posed to the well-being of workers by the current structural crisis of capitalism. The key objective is to identify and analyze the characteristics of a struggle for land between agroecological farmers and real estate developers in the context of metropolitan areas. To complete the study, the research included the use of quantitative and qualitative methodologies as well as participant-observer data collection.

Resumo (espanhol)

Esta investigación tiene como objetivo analizar y discutir el Campamento del MST Marielle Vive (MV), en Valinhos/SP, donde cerca de 450 familias viven y luchan por la reforma agraria desde 2018. El territorio del MV es concebido a través de la lucha por la tierra contra el capital inmobiliario, representado por Fazenda Eldorado Empreendimentos Imobiliários, propietaria de la propiedad de Fazenda Eldorado, irregularmente improductiva hasta que fue ocupada por los Sin Tierra, que cuestionan el predominio y la hegemonía de la especulación en una región de condominios horizontales de lujo. Al llevar a cabo este enfrentamiento, son muchos los desafíos que se le plantean a diario a las familias Sin Tierra, como falta de agua, asesinato, riesgo de desalojo, precaria situación estructural, entre muchos, sin embargo, la respuesta de los Sin Tierra se da a través de la organización y participación popular. .para encontrar formas de superar las contradicciones. Se pretende, a partir de este territorio, estudiar la actualidad de la lucha por la tierra en contextos metropolitanos, la característica del sujeto Sin Tierra proveniente de la periferia de la Región Metropolitana de Campinas (RMC), los desafíos planteados a la organización de los trabajadores en frente a la estructura de crisis del capital y sus desarrollos, identificar características de la lucha por la tierra contra la especulación inmobiliaria y las estrategias de dominio agrario utilizadas por este sector en Valinhos/SP, para realizar la investigación, métodos cuantitativos y cualitativos, participante y se utilizaron investigaciones militantes.

Descrição

Idioma

Português

Como citar

MOREIRA, Tassiana Barreto de Barros. O Acampamento Marielle Vive: da desigualdade socioespacial à luta pela terra contra a especulação imobiliária em Valinhos/SP. Orientador: Clifford Andrew Welch. 2023. 138 f. Dissertação (Mestrado em Geografia) – Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho”, Instituto de Políticas Públicas e Relações Internacionais, Programa de Pós-graduação em Desenvolvimento Territorial na América Latina e Caribe, São Paulo, 2023.

Itens relacionados