Bremia lactucae: monitoramento e estudo da compatibilidade sexual em populações brasileiras

dc.contributor.advisorBraz, Leila Trevisan [UNESP]
dc.contributor.advisorPanizzi, Rita de Cássia [UNESP]
dc.contributor.advisorRolim, Glauco de Souza
dc.contributor.authorSouza, Larissa Nogueira de [UNESP]
dc.contributor.institutionUniversidade Estadual Paulista (Unesp)
dc.date.accessioned2021-08-12T01:01:18Z
dc.date.available2021-08-12T01:01:18Z
dc.date.issued2021-04-05
dc.description.abstractO fitopatógeno Bremia lactucae é o agente causal do míldio da alface. Essa é a principal doença foliar que incide sobre cultura da alface em condições de inverno. O monitoramento da variabilidade fenotípica dos isolados de B. lactucae contribui para a prospecção de cultivares resistentes. Assim, objetivou-se monitorar e estudar a compatibilidade sexual em populações brasileiras de B. lactucae e elucidar a ocorrência da reprodução sexual em alface (Lactuca sativa) e serralha (Lactuca serriola). Amostras foliares de alface e de serralha com esporulações visíveis de B. lactucae foram coletadas em 33 municípios de seis estados brasileiros e Distrito Federal. Os fenótipos de virulência das populações de monitoradas foram identificados com a inoculação da suspensão de 5 x 104 esporângios mL-1 em cotilédones de cultivares do conjunto diferencial de do código sexteto EU-C. As populações dos isolados de B. lactucae dos estados de São Paulo, Paraná, Rio de Janeiro e Rio Grande do Sul compartilham seis dos 15 fatores de virulência avaliados. Foram encontrados 27 fenótipos de virulência e os códigos sextetos 31-00-02, 31-16-02, 31-24-02 e 31-01-02 foram os mais frequentes. Os genes e fatores de resistência das cultivares Argelès (Dm38), Balesta e Bartoli podem ser recomendados como fontes de resistência para o melhoramento genético visando resistência ao míldio da alface para as populações brasileiras avaliadas neste estudo. A predominância de alguns fenótipos de virulência, indica que a reprodução clonal é a principal forma de propagação de B. lactucae, no entanto a ocorrência natural de oósporos foi detectada em plantas de alface e serralha, na maioria dos locais amostrados. A variabilidade da virulência dos isolados brasileiros é resultado da flexibilidade do patógeno em se reproduzir sexualmente e assexuadamente, com alta incidência de isolados que foram considerados homotálicos secundários, sendo que a compatibilidade sexual B2 predominante, foi a mais frequente na população brasileira de B. lactucae, seguido por B1 predominante e B1 = B2.pt
dc.description.abstractThe phytopathogen Bremia lactucae is the causal agent of lettuce downy mildew. This is the central leaf disease that affects lettuce in winter conditions. Monitoring the phenotypic variability of B. lactucae results contribuites to the prospect of resistant cultivars. Thus, the objective was to monitor and study sexual compatibility in Brazilian populations of B. lactucae and elucidate the occurrence of reproduction in sexual lettuce (Lactuca sativa) and milkweed (Lactuca serriola). Leaf samples of lettuce and milkweed with specific sporulation of B. lactucae were collected in 33 municipalities in seven Brazilian states. The virulence phenotypes of the monitored populations were identified with the inoculation of a suspension of 5 x 104 sporangia mL-1 in cotyledons of cultivars of the EU-C sextet code differential set. The populations of B. lactucae from the states of São Paulo, Paraná, Rio de Janeiro, and the Rio Grande do Sul share six of the 15 virulence factors obtained. 27 virulence phenotypes were found, and the sextet codes 31-00-02, 31-16-02, 31-24-02, and 31-01-02 were the most frequent. The genes and resistance factors of the cultivars Argelès (Dm38), Balesta, and Bartoli can be selected as sources of resistance for genetic improvement. The predominance of some virulence phenotypes indicates that clonal reproduction is the main form of propagation of B. lactucae. However, oospore natural occurrence was detected in lettuce and milkweed plants in most of the sampled places. The variability of virulence in Brazilians is the result of the pathogen's flexibility to reproduce sexually and asexually, with a high rate of attainment that secondary homotálics were analyzed, with the predominant B2 sexual compatibility being the most frequent in the Brazilian population of B. lactucae, followed by predominant B1 and B1 = B2.en
dc.description.sponsorshipCoordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES)
dc.description.sponsorshipIdCAPES: 001
dc.identifier.capes33004102001P4
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/11449/213970
dc.language.isopor
dc.publisherUniversidade Estadual Paulista (Unesp)
dc.rights.accessRightsAcesso aberto
dc.subjectFitopatologiapt
dc.subjectMelhoramento genéticopt
dc.subjectRelações planta-fungopt
dc.subjectReproduçãopt
dc.titleBremia lactucae: monitoramento e estudo da compatibilidade sexual em populações brasileiraspt
dc.title.alternativeBremia lactucae: monitoring virulence and sexual compatibility in brazilian populationsen
dc.typeTese de doutorado
unesp.campusUniversidade Estadual Paulista (Unesp), Faculdade de Ciências Agrárias e Veterinárias, Jaboticabalpt
unesp.embargoOnlinept
unesp.examinationboard.typeBanca públicapt
unesp.graduateProgramAgronomia (Produção Vegetal) - FCAVpt
unesp.knowledgeAreaProdução vegetalpt
unesp.researchAreaObtenção, avaliação e identificação de cultivarespt

Arquivos

Pacote Original
Agora exibindo 1 - 1 de 1
Carregando...
Imagem de Miniatura
Nome:
souza_ln_dr_jabo.pdf
Tamanho:
1.09 MB
Formato:
Adobe Portable Document Format
Descrição:
Licença do Pacote
Agora exibindo 1 - 1 de 1
Nenhuma Miniatura disponível
Nome:
license.txt
Tamanho:
2.98 KB
Formato:
Item-specific license agreed upon to submission
Descrição: