Perfil de resistência a antimicrobianos de cepas de escherichia coli isoladas de bovinos oriundos de sistemas de criação intensivo e extensivo

Carregando...
Imagem de Miniatura

Data

2022-05-04

Autores

Nascimento, Yago Fernandes

Título da Revista

ISSN da Revista

Título de Volume

Editor

Universidade Estadual Paulista (Unesp)

Resumo

O objetivo do presente trabalho foi avaliar a influência dos diferentes sistemas de criação (sistema intensivo e extensivo) na determinação de perfis de resistência aos antibióticos em isolados de Escherichia coli de um abatedouro frigorífico de bovinos. Foram coletadas amostras de 40 animais de cada sistema de produção nos pontos: carcaças durante abate no pós-sangria (n=80), pós-evisceração (n=80) e pós-lavagem final (n=80); fezes de bovinos (n=80), água residual (n=5); superfície de equipamentos (n=20); cortes cárneos (n=50); e fezes de funcionários (n=10). Foi seguido o protocolo conforme a ISO/TS 13136 com modificações para a detecção e isolamento de Escherichia coli. Os isolados confirmados foram submetidos ao teste de resistência a 10 antimicrobianos pelo método de disco-difusão em ágar e os resultados foram analisados para identificação de perfis de resistência. A frequência de animais portadores de cepas resistentes foi comparada pelo teste exato de Fisher (P<0,05). Foi observado que 97,5% (78/80) dos animais, 70% (7/10) dos funcionários e 6,6% (5/75) das amostras de ambiente industrial apresentaram resistência a pelo menos uma classe de antimicrobianos. O sistema de criação dos animais não influenciou na frequência de animais com cepas multirresistentes, porém foi observada uma maior frequência de bovinos, do sistema intensivo, resistentes à classe das fluoroquinolonas (P<0,05). Mesmo não havendo influência do sistema de criação sobre a multirresistência, observou-se uma alta frequência de animais portadores de E. coli resistentes à antimicrobianos relevantes para a saúde pública. Esse fato ressalta a importância da vigilância e do controle de bactérias que apresentam resistência a antimicrobianos.
The objective of the present work was to evaluate the influence of different rearing systems (intensive and extensive systems) on the determination of antibiotic resistance profiles in Escherichia coli isolates from a cattle slaughterhouse. Samples of 40 animals from each production system were collected at the following points: carcasses during slaughter in the post-bleeding (n=80), post-evisceration (n=80) and post-final washing (n=80); bovine feces (n=80), residual water (n=5); equipment surface (n=20); meat cuts (n=50); and feces from employees (n=10). The protocol according to ISO/TS 13136 was followed with modifications for the detection and isolation of E. coli. Confirmed isolates were tested for resistance to 10 antimicrobials using the disk-diffusion agar method and the results were analyzed to identify resistance profiles. The frequency of animals carrying resistant strains was compared using Fisher's exact test (P<0.05). It was observed that 97.5% (78/80) of animals, 70% (7/10) of humans and 6.6% (5/75) of samples from industrial environments showed resistance to at least one class of antimicrobials. The animal husbandry system did not influence the frequency of animals with multidrug-resistant strains, but a higher frequency of cattle, from the intensive system, resistant to the fluoroquinolone class (P<0.05) was observed. Even though there was no influence of the breeding system on multidrug resistance, a high frequency of animals carrying E. coli resistant to antimicrobials relevant to public health was observed. This fact highlights the importance of surveillance and control of bacteria that are resistant to antimicrobials.

Descrição

Palavras-chave

Antibióticos, Pecuária de corte, Saúde única, Bovino de corte, Escherichia coli, Antibióticos em medicina veterinária

Como citar