Produtividade do arroz de terras altas em razão da época de dessecação das plantas de cobertura

Carregando...
Imagem de Miniatura

Data

2012-12-17

Orientador

Crusciol, Carlos Alexandre Costa

Coorientador

Pós-graduação

Agronomia (Agricultura) - FCA

Curso de graduação

Título da Revista

ISSN da Revista

Título de Volume

Editor

Universidade Estadual Paulista (Unesp)

Tipo

Tese de doutorado

Direito de acesso

Acesso abertoAcesso Aberto

Resumo

Resumo (português)

Plantas de cobertura podem romper camadas compactadas e sua palha pode equilibrar os teores de NO3- e NH4+ no solo e proporcionar melhor desenvolvimento do arroz no sistema semeadura direta (SSD). Entretanto, deve-se observar o momento adequado para se realizar a dessecação com glifosato das plantas de cobertura e evitar fitotoxicidade na cultura do arroz. Desta forma, objetivou-se nesse trabalho avaliar o efeito de espécies de cobertura sobre os atributos do solo e da época de dessecação no acúmulo de ácido chiquímico nas plantas de arroz, nos componentes da produção e na produtividade de grãos da cultura no SSD. O experimento foi conduzido na Fazenda Capivara da Embrapa Arroz e Feijão, Santo Antônio de Goiás, GO. O delineamento experimental foi em blocos ao acaso com três repetições em esquema de parcelas subdivididas por dois anos agrícolas (2008/09 e 2009/10). As plantas de cobertura (Urochloa ruziziensis, Urochloa brizantha, Panicum maximum, Pennisetum glaucum) e o pousio estavam nas parcelas e a época de dessecação (-30, -20, -10 e 0 dias em relação à semeadura do arroz) nas subparcelas. O uso de plantas de cobertura proporciona maior estabilidade dos agregados e a redução da densidade do solo. A palha de milheto proporciona a menor densidade e relação NO3-/NH4+ no solo e a maior produtividade do arroz de terras altas. A aplicação de glifosato nas plantas de cobertura provoca translocação do herbicida para as plântulas de arroz e acúmulo de ácido chiquímico. A dessecação do milheto e pousio deve ser realizada entre 20 e 30 dias antes da semeadura do arroz. A dessecação de U. ruziziensis, U. brizantha e P. maximum deve ser realizada com mais de 30 dias em relação à semeadura do arroz

Resumo (inglês)

Cover crops can break up compacted layers and their straw could balance the levels of NO3- e NH4+ in the soil and provide better rice development at no-tillage system (NTS). However, it must be observe the proper time to desiccate with glyphosate the cover crops and avoid phytotoxicity in rice crop. Therefore, this study aimed to evaluate the effect of cover crops in the soil attributes and the desiccated times in the amount of shikimic acid in rice plants, in the yield components and grain yield of upland rice sowed in the NTS. The trial was performed on Capivara farm from Embrapa Rice and Bean, Santo Antônio de Goiás, GO. The experimental design was a randomized blocks with three replications in a split-plot scheme for two growing seasons (2008/09 and 2009/10). The cover crop (Urochloa ruziziensis, Urochloa brizantha, Panicum maximum, Pennisetum glaucum) and fallow were in the main plots and desiccation times (-30, -20, -10 and 0 days in relation to rice sowing) were in the subplots. The use of cover crops in NTS provides greater aggregate stability and reducing soil compaction. The millet straw provides the lowest soil bulk density and relation NO3-/NH4+ and the highest upland rice yield. The application of glyphosate in cover crops causes herbicide translocation to the rice seedlings and accumulation of shikimic acid. Millet and fallow must be desiccated between 20 and 30 days before rice sowing. The cover crops U. ruziziensis, U. brizantha and P. maximum must be desiccated over 30 days prior to the rice sowing

Descrição

Idioma

Português

Como citar

NASCENTE, Adriano Stephan. Produtividade do arroz de terras altas em razão da época de dessecação das plantas de cobertura. 2012. xiv, 94 f. Tese (doutorado) - Universidade Estadual Paulista, Faculdade de Ciências Agronômicas de Botucatu, 2012.

Itens relacionados