Intimidade na clínica contemporânea: estudo psicanalítico

Carregando...
Imagem de Miniatura

Data

2011-06-29

Orientador

Hashimoto, Francisco

Coorientador

Pós-graduação

Psicologia - FCLAS

Curso de graduação

Título da Revista

ISSN da Revista

Título de Volume

Editor

Universidade Estadual Paulista (Unesp)

Tipo

Tese de doutorado

Direito de acesso

Acesso abertoAcesso Aberto

Resumo

Resumo (português)

Nesta pesquisa, estudou-se a intimidade que se estabelece no encontro entre a dupla terapeuta-paciente, dentro do contexto psicoterápico. Considerou-se, da clínica contemporânea, as queixas de ausência de simbolizações, marcada por angústias de invasões e abandonos, sem contornos psíquicos de mundo interno e externo. Essas angústias levam a pensar na necessidade de construir uma ligação íntima e criar, nesses vazios, algo novo e representável, a fim de que a pessoa possa entrar em contato com seu mundo interno. Para tanto, foi importante compreender o espaço de intimidade onde ocorre o encontro que possibilitará a busca de autonomia e criatividade do paciente. Essa criação entre terapeuta e paciente, frequentemente, poderá ser vivenciada pela primeira vez nessa relação, precisando, portanto, passar pelo repertório do terapeuta, o qual acolhe as angústias do pacientes no campo vincular, da transferência e da contratransferência, oferecendo condições para a sustentação psíquica. Utilizaram-se, da obra de Winnicott, os estudos que abordam o processo de desenvolvimento do indivíduo e como estabelecer intimidade consigo e com o mundo, e as considerações de holding, handling, apresentação de objeto, mãe suficientemente boa, capacidade de estar só, falso self, self verdadeiro, medo colapso e tendência inata ao desenvolvimento. Empregaram-se também as contribuições de Freud, no aspecto técnico sobre construções feitas na análise, a atenção flutuante, a transferência e a contratransferência e, no que se trata da teoria, discutiu-se sobre o narcisismo na vida relacional das pessoas, os investimentos libidinais que são possíveis nas situações de luto elaborado, bem como...

Resumo (inglês)

In this research, we studied the intimacy that is established in the encounter between therapist-patient, within the context of psychotherapy. It was taken into considerations the complaints of lack of symbolizations marked by fears of invasions and withdrawals without psychic contours of internal and external world, in contemporary clinical practice. These anxieties led to thinking about the need to build an intimate relationship and to create something new and possible of being represented, so that one can get in touch with his/her inner world. It was important to understand the space of intimacy where the encounter which may facilitate the search for autonomy and creativity of the patient takes place. This process between therapist and patient may often be experienced for the first time in this relationship, and therefore needs to go through the therapist's repertoire, which hosts the anguish of the patient, providing conditions for psychic support. From the works by Winnicott we used the studies which address the process of individual development and the process of establishing intimacy with oneself and the world, and considerations of holding, handling, object presentation, mother image, ability to be alone, false self, true self, collapse fear and innate tendency to development. We also used the contributions of Freud, the technical aspect of the constructions made during the analysis, the floating attention, transference and counter transference. And as far as theory is concerned, we discussed narcissism in the affective life of the persons, the libidinal investments which are possible in situations of... (Complete abstract click electronic access below)

Descrição

Idioma

Português

Como citar

BERTÃO, Flávia Renata Bertonha Manoel. Intimidade na clínica contemporânea: estudo psicanalítico. 2011. 109 f. Tese (doutorado) - Universidade Estadual Paulista, Faculdade de Ciências e Letras de Assis, 2011.

Itens relacionados