Alterações morfofisiológicas e moleculares em corpo lúteo bovino após administração de diferentes prostaglandinas e doses no metaestro e diestro

Carregando...
Imagem de Miniatura

Data

2023-05-05

Título da Revista

ISSN da Revista

Título de Volume

Editor

Universidade Estadual Paulista (Unesp)

Resumo

O objetivo do presente estudo foi investigar os processos relacionados à administração de diferentes prostaglandinas (cloprostenol sódico - CS e dinoprost trometamina - DT) utilizando 100% e 50% da dose recomendada, durante metaestro e diestro (4 e 11 dias após ovulação (D0), respectivamente). Foram analisadas as seguintes características: dinâmica luteal, vascularização do CL, quantificação de pixels na perfusão sanguínea do CL e dosagem sérica de progesterona (P4) (Exp.1) e morfometria das células luteais, valor numérico de pixels (NVP) e heterogeneidade associada ao CL e imunomarcação da caspase-3, dosagem de P4 e expressão de microRNA (miRNA) (Exp.2). Em Exp. 1, 44 fêmeas tiveram ovulação sincronizada e receberam os seguintes tratamentos: D4 (CS50% n= 5; CS100% n= 5; DT50% n= 5; DT100% n= 5) e D11 (CS50% n= 7; CS100% n= 5; DT50% n= 6; DT100% n= 6). Em Exp. 2, foram sincronizadas 23 fêmeas, alocadas nos tratamentos: D4 (CS 50%, n=3; CS 100%, n=3; DT 50%, n=3; DT 100%, n=3) e D11 (CS 50 %, n=3; CS 100%, n=3; DT 50%, n=3; DT 100%, n=2) e foram abatidos dois dias depois. Os dados foram analisados por ANOVA em arranjo fatorial (2x2, no Exp. 1 e Exp. 2) com medidas repetidas ao longo do tempo (exceto morfometria e imunomarcação) e teste de Tukey, com significância < 5%. A análise do miRNA foi descritiva. No metaestro, houve redução inicial de P4, independente da droga utilizada e da dose utilizada, retornando sua capacidade esteroidogênica após 96h (Exp.1). Quando utilizado 100%, houve declínio de P4 e redução da perfusão sanguínea do CL. Quando foram utilizados 50% da dose e DT, observou-se maior redução na área de pequenas células luteais, enquanto o tratamento DT50% apresentou maior heterogeneidade. CS100% teve maior redução de P4 (Exp.2), maior NVP, indicando processo luteolítico. Na fase de diestro, tanto 50% quanto 100% da dose de ambas as PGF2α diminuíram o nível sérico de P4, a vascularização, a perfusão sanguínea e o tamanho do CL (Exp.1). DT e dose de 100% alcançaram maior redução de células luteais grandes. O tratamento DT100% apresentou menor NVP, enquanto CS100% apresentou maior heterogeneidade. Foi possível identificar 18 miRNAs exclusivos no metaestro, nenhum no diestro e 5 em comum quando utilizada 50% da dose, independente da PGFα. Com 100% da dose, nenhum foi encontrado no metaestro, 8 miRNAs no diestro e 17 miRNAs em comum. A administração de luteolíticos no D4 foi sugestiva de luteólise parcial quando utilizada 100% da dose. A administração no D11 foi eficiente na indução da luteólise completa, utilizando 50% ou 100% da dose recomendada, independente do medicamento.
The objective of the present study was to investigate the processes related to the administration of different prostaglandins (sodium cloprostenol - CS and dinoprost tromethamine - DT) using 100% and 50% of the recommended dose, during metestrus and diestrus (4 and 11 days after ovulation (D0), respectively). The following features were analyzed: luteal dynamics, CL vascularization, quantification of pixels in CL blood perfusion and serum progesterone (P4) measurement (Exp.1) and luteal cell morphometry, numerical value of pixels (NVP) and heterogeneity associated to CL caspase-3 immunostaining, P4 and microRNA (miRNA) expression (Exp.2). In Exp. 1, 44 females had synchronized ovulation and received the following treatments: D4 (CS50% n= 5; CS100% n= 5; DT50% n= 5; DT100% n= 5) and D11 (CS50% n= 7; CS100% n= 5; DT50% n= 6; DT100% n= 6). In Exp. 2, 23 females were synchronized, allocated to treatments: D4 (CS 50%, n=3; CS 100%, n=3; DT 50%, n=3; DT 100%, n=3) and D11 (CS 50%, n=3; CS 100%, n=3; DT 50%, n=3; DT 100%, n=2) and were slaughtered two days later. Data were analyzed by ANOVA in a factorial arrangement (2x2, in Exp. 1 and Exp. 2) with repeated measurements over time (except for morphometry and immunostaining) and Tukey's test, with significance at < 5%. The miRNA analysis was descriptive. At metestrus, there was an initial reduction in P4, regardless of the drug used and dose used, returning its steroidogenic capacity after 96h (Exp.1). When 100% was used, there was a decline in P4 and a reduction in CL blood perfusion. When 50% of the dose and DT were used, a greater reduction in the area of small luteal cells was observed, while the 50%DT treatment had a greater heterogeneity. CS100% had a greater reduction in P4 (Exp.2), higher NVP, indicating a luteolytic process. In the diestrus phase, both 50% and 100% of the dose of both PGF2α decreased the serum level of P4, vascularization, blood perfusion, and CL size (Exp.1). DT and 100% dose achieved greater reduction of large luteal cells. The DT100% treatment had lower NVP, while CS100% in higher heterogeneity. It was possible to identify 18 unique miRNAs in metestrus, none in diestrus and 5 in common when 50% of the dose was used, regardless of PGFα. With 100% of the dose, none were found in metestrus, 8 miRNAs in diestrus and 17 miRNAs in common. The administration of luteolytics in D4 was suggestive of partial luteolysis when 100% of the dose was used. Administration on D11 was efficient in inducing complete luteolysis, using 50% or 100% of the recommended dose, regardless of the drug.

Descrição

Palavras-chave

corpo lúteo, miRNA, Ovulação, vias luteolíticas, luteolytic pathways, corpus luteum

Como citar

Trevisoli, M. A. - Alterações morfofisiológicas e moleculares em corpo lúteo bovino após administração de diferentes prostaglandinas e doses no metaestro e diestro - 2023 - Dissertação (Mestrado em Medicina Veterinária) - Universidade Estadual Paulista - Jaboticabal, 2023.