Avaliação da adequação da ocupação do solo em áreas de preservação permanente (APPs)

Carregando...
Imagem de Miniatura

Data

2014

Orientador

Coorientador

Pós-graduação

Curso de graduação

Título da Revista

ISSN da Revista

Título de Volume

Editor

Tipo

Artigo

Direito de acesso

Acesso abertoAcesso Aberto

Resumo

Resumo (inglês)

Evaluation and adequacy of land occupation in Permanent Preservation Areas (PPAs) are important to ensure quantity and quality of water and local biodiversity. The objective of the study was mapping PPAs according to the Brazilian Forest Code and quantifying land cover and use, establishing the conflict of PPAs occupation in the Ribeirão Lavapés sub watershed. The area is 11,154.58 ha, and is located in Botucatu city, Midwestern region of São Paulo state. For this reason, geoprocessing tools, such as Remote Sensing and the Geographic Information System (SIG) were used. The dominant classes of land use and cover were the Urban Zone in Reverse Cuesta, 4,394.27 ha (39.39%) and Annual Crops in the Peripheral Depression, 3,670.89 ha (39.39%). The mapped area of native forest vegetal cover in the sub watershed was of 1,109.70 ha. Regarding the mapping of PPAs, considering the total area of 1,721.80 ha, a total of 532.15 ha (30.91%) are covered by Riparian Forest and 1,189.65 ha (69.09%) had no native riparian vegetation, therefore, requiring its reforestation.

Resumo (português)

A avaliação e adequação da ocupação do solo em Áreas de Preservação Permanente (APPs) são importantes para garantir a quantidade e qualidade da água e a biodiversidade local. O objetivo do estudo foi mapear as APPs de acordo com o Código Florestal Brasileiro e quantificar o uso e cobertura do solo, estabelecendo o conflito de ocupação das APPs na sub-bacia do Ribeirão Lavapés, com área de 11.154,58 ha, localizada no município de Botucatu na região Centro-Oeste do Estado de São Paulo. Para isso foram utilizadas ferramentas de geoprocessamento, como o Sensoriamento Remoto e o Sistema de Informação Geográfica (SIG). Observou-se que as classes predominantes de uso e cobertura do solo foram a Zona Urbana no Reverso da Cuesta, com 4.394,27 ha (39,39%) e as Culturas Anuais na Depressão Periférica, com 3.670,89 ha (32,91%). A área mapeada de cobertura vegetal de Mata Nativa na sub-bacia foi de 1.109,70 ha. Em relação ao mapeamento das APPs, em uma área total de 1.721,80 ha, verificou-se que 532,15 ha (30,91%) estão cobertos por Mata Ciliar e 1.189,65 ha (69,09%) não apresentam vegetação nativa ciliar, sendo necessária a sua recomposição florestal.

Descrição

Idioma

Português

Como citar

Irriga, v. 19, n. 2, p. 333-344, 2014.

Itens relacionados

Financiadores