Aplicação foliar de peróxido de hidrogênio em tomateiro estimula tolerância ao déficit hídrico

Carregando...
Imagem de Miniatura

Data

2023-04-05

Orientador

Boaro, Carmen Sílvia Fernandes

Coorientador

Pós-graduação

Agronomia (Horticultura) - FCA

Curso de graduação

Título da Revista

ISSN da Revista

Título de Volume

Editor

Universidade Estadual Paulista (Unesp)

Tipo

Tese de doutorado

Direito de acesso

Acesso restrito

Resumo

Resumo (português)

Peróxido de hidrogênio (H2O2), espécie reativa de oxigênio, apesar de potencialmente danoso, atua na sinalização de diversos processos no metabolismo vegetal, como crescimento e respostas a estresses abióticos, como a seca. Objetivou-se neste trabalho verificar se a aplicação exógena de H2O2 interfere no desempenho fotossintético, produção de biomassa e no ajuste metabólico de tomateiro submetido ou não à período de seca. O experimento foi conduzido no delineamento em blocos casualizados, em esquema fatorial 2x3, sendo duas condições hídricas: plantas regadas e plantas submetidas à seca, e três aplicações foliares: zero, uma ou duas aplicações foliares de 1 mM de H2O2. As avaliações foram realizadas em dois momentos, primeiro, durante o período em que parte das plantas estavam submetidas a seca, e segundo, após essas plantas estarem recuperadas pelo retorno da rega. Foram realizadas avaliações de fluorescência da clorofila a, trocas gasosas, curva de carboxilação da RuBisCo, análise de crescimento, acúmulo de massa seca, conteúdo relativo de água, potencial água da folha, carboidratos, perfil químico de açúcares, pigmentos foliares, peroxidação lipídica, concentrações foliares de peróxido de hidrogênio, fenóis e prolina e atividade de enzimas antioxidantes. Concluiu-se que aplicação exógena de H2O2 incrementa o desempenho fotossintético de plantas cultivadas sob regime normal de rega e na seca e ajustes metabólicos dependem do número de aplicações de H2O2, assim como aplicação exógena de H2O2 incrementa a produção de biomassa de plantas cultivadas sob regime normal de rega, tendo atuado na sinalização de reações fotossintéticas e proteção ao déficit hídrico, com potencial uso para aclimatação sistêmica adquirida.

Resumo (inglês)

Hydrogen peroxide (H2O2), a reactive oxygen species, although potentially harmful, acts in the signaling of several processes in plant metabolism, such as growth and responses to abiotic stresses, such as drought. The aim of this work was to verify if the H2O2 exogenous application interferes in the photosynthetic performance, biomass production and in the metabolic adjustment of tomato plants submitted or not to a period of drought. The experiment was conducted in a randomized block design, in a 2x3 factorial scheme, with two water conditions: watered plants and plants subjected to drought, and three foliar applications: zero, one or two foliar applications of 1 mM H2O2. The evaluations were carried out in two moments, first, during the period in which part of the plants were subjected to drought, and second, after these plants were recovered by the return of watering. Were evaluated the chlorophyll a fluorescence, gas exchange, RuBisCo carboxylation curve, growth analysis, dry mass accumulation, relative water content, leaf water potential, carbohydrates, chemical profile of sugars, leaf pigments, lipid peroxidation, foliar concentrations of hydrogen peroxide, phenols and proline and activity of antioxidant enzymes. It was concluded that exogenous H2O2 application increases the photosynthetic performance of both plants cultivated under normal watering regime and in drought, and metabolic adjustments depend on the number of H2O2 applications, as well as exogenous H2O2 application increases the biomass production of plants cultivated under irrigation, having acted in the signaling of photosynthetic reactions and protection against water deficit, with potential use for acquired systemic acclimation.

Descrição

Idioma

Português

Como citar

Itens relacionados