Comparação da mobilidade, força muscular e medo de cair em idosas caidoras e não caidoras

Carregando...
Imagem de Miniatura

Data

2013

Orientador

Coorientador

Pós-graduação

Curso de graduação

Título da Revista

ISSN da Revista

Título de Volume

Editor

Universidade do Estado do Rio Janeiro

Tipo

Artigo

Direito de acesso

Acesso abertoAcesso Aberto

Resumo

Resumo (português)

OBJETIVOS: Verificar o medo de cair em idosas caidoras e não caidoras ativas fisicamente e comparar mobilidade e força de preensão palmar; verificar se existe relação entre mobilidade, força muscular e medo de quedas. MÉTODOS: Foram avaliadas 40 idosas ativas, idade ≥ 60 anos, divididas em caidoras (n = 20) e não caidoras (n = 20). Utilizou-se Mini-Exame do Estado Mental (MEEM) para rastreio cognitivo; Falls Efficacy Scale-International-Brasil (FES-I-BRASIL) para avaliar o medo de cair; a força muscular foi mensurada pela medida da força de preensão palmar por meio de dinamômetro hidráulico; Timed Up and Go (TUG) para avaliar mobilidade funcional. RESULTADOS: Não foi encontrada diferença significante entre os grupos no que diz respeito à mobilidade e força muscular. A maioria das participantes (92,5%) demonstrou preocupação com quedas. Das idosas que levaram mais que 12 segundos para desempenhar o TUG, 53,84% eram do grupo caidor. Não foi encontrada correlação entre mobilidade e força muscular. CONCLUSÃO: Não foi observada diferença significativa entre força muscular, mobilidade e medo de quedas entre os grupos. Não foi encontrada correlação significativa entre mobilidade, força muscular e medo de quedas. O estudo permitiu observar que o medo de cair está presente na maioria da população idosa, com ou sem história de quedas.

Resumo (inglês)

OBJECTIVES: Check the fear of fall among falling and non falling physically active elderly and compare mobility and grip strength; verify the association between mobility, muscle strength and fear of falling. METHODS: We evaluated 40 active elderly, female, age ≥ 60 years, divided into fallers (n = 20) and non-fallers (n = 20). We used the Mini Mental State Examination (MEEM) for cognitive monitoring; Falls Efficacy Scale-International-Brazil (FES-I-BRAZIL) to assess fear of falling, muscle strength was measured by measuring the strength of hand grip through the hydraulic dynamometer, Timed Up and Go (TUG) to assess functional mobility. RESULTS: There was no significant difference between groups with regard to mobility and muscle strength. Most participants (92.5%) expressed concern over the falls. Of the elderly who took more than 12 seconds to perform the TUG, 53.84% were faller group. No correlation was found between mobility and muscle strength. CONCLUSION:No significant difference was observed between muscle strength, mobility and fear of falls among the groups. There was no significant association between mobility, muscle strength and fear of falling. This study has observed that the fear of falling is present in most of the elderly population, with or without falls history.

Descrição

Idioma

Português

Como citar

Revista Brasileira de Geriatria e Gerontologia. Universidade do Estado do Rio Janeiro, v. 16, n. 2, p. 251-257, 2013.

Itens relacionados

Financiadores