Teores foliares de silício, taninos e lignina, em Maytenus ilicifolia Martius ex Reiss. (espinheira-santa), em função de variáveis ambientais e genéticas

Carregando...
Imagem de Miniatura

Data

2006-08-24

Orientador

Büll, Leonardo Theodoro

Coorientador

Pós-graduação

Agronomia (Horticultura) - FCA

Curso de graduação

Título da Revista

ISSN da Revista

Título de Volume

Editor

Universidade Estadual Paulista (Unesp)

Tipo

Tese de doutorado

Direito de acesso

Acesso abertoAcesso Aberto

Resumo

Resumo (português)

A espécie medicinal Maytenus ilicifolia, localiza-se naturalmente sob diferentes condições edafo-climáticas. Este fato implica em prováveis mecanismos de adaptação das populações naturais, cujas características químicas podem, ou não, estar fixadas geneticamente. A identificação da variabilidade fenotípica da espécie permite viabilizar práticas de manejo visando a produção de fitoterápicos com qualidade organoléptica, nutricional e terapêutica. Para identificar a influência do ambiente na composição fitoquímica de M. ilicifolia foram efetuados três estudos, o primeiro em quatro populações naturais distribuídas no Estado do Paraná, o segundo em um banco de germoplasma, e o terceiro em uma unidade de cultivo experimental onde foi conduzido um ensaio de fertilização baseado na aplicação de diferentes doses de um resíduo de siderurgia rico em Si. Foram avaliados os teores foliares de N, P, K, Ca, Mg, Fe, Mn, Cu, Zn, Si, Al, lignina, fenóis totais, fenóis não tanantes e taninos. Nas populações naturais também foi determinada a massa específica foliar. No banco de germoplasma, em função da elevada diversidade morfológica, foi efetuada a classificação dos indivíduos em morfotipos, tendo sido identificados nove morfotipos foliares, os quais apresentaram relação com alguns dos ambientes de origem das populações. Os estudos efetuados indicam que é possível efetuar o controle de compostos fenólicos presentes em M. ilicifolia, seja através do manejo de luz, interferindo tanto na síntese de lignina quanto dos taninos, seja por meio da aplicação de Si e Ca, regulando principalmente a síntese de fenóis totais e taninos.

Resumo (inglês)

Maytenus ilicifolia is a medicinal species that occurs naturally under different soils and light conditions. This fact involves adaptation mechanisms of the natural populations whose chemical characteristics can be or not genetically fixed. The identification of the genetic variability can viabilize the management practices to the production of phytotherapics with organoleptical, nutritional and therapeuthic quality. Three studies were developed to determine the influence of the environment in the phytochemical content of M. Ilicifolia and the samples were collected from four natural communities, a germoplasm bank, and an experimental area in wich there was fertilized with different doses a rich Si residue. There was determinate the specific leaf mass in leaves from the natural populations, also there was determinate the total content of N,P, K, Ca, Mg, Fe, Mn, Cu, Zn, Si, Al, lignin, total phenols and tannins in all samples. In the germoplasm bank the individual plants were classified in nine morphotypes, too. The studies indicate that is possible to controle the M. ilicifolia lignin and tannin composition by light management, as well as the total phenols and tannin by Si and Ca fertilization.

Descrição

Idioma

Português

Como citar

RADOMSKI, Maria Izabel. Teores foliares de silício, taninos e lignina, em Maytenus ilicifolia Martius ex Reiss. (espinheira-santa), em função de variáveis ambientais e genéticas. 2006. x, 104 f. Tese (doutorado) - Universidade Estadual Paulista, Faculdade de Ciências Agronômicas, 2006.

Itens relacionados