Alterações Metabólicas 6-11 anos pós nascimento em filhos de mães com síndrome metabólica na gestação

Carregando...
Imagem de Miniatura

Data

2019-02-25

Título da Revista

ISSN da Revista

Título de Volume

Editor

Universidade Estadual Paulista (Unesp)

Resumo

Objetivo: Avaliar a exposição à síndrome metabólica (SM) pré-gestacional e seus efeitos nos desfechos perinatais (crianças grandes para a idade gestacional, macrossomicos e nascimento pré-termo) e no risco a curto e longo prazo para o desenvolvimento de SM e repercussões metabólicas em filhos de população de baixa renda de mãe brasileira. Desenho do estudo: Esta análise não planejada e exploratória inclui uma coorte de pares de mães-filhos diagnosticados e tratados no Centro de Pesquisa em Diabetes Perinatal - Hospital Universitário da UNESP, Brasil, de 2004 a 2011. Este estudo avaliou mulheres com diabetes mellitus gestacional anterior e o risco de desenvolver diabetes tipo 2 após 6-11 anos após o parto e os dados foram coletados de fevereiro de 2016 a julho de 2018. Mães e bebês (n = 152) foram selecionados como pares e um estudo de acompanhamento foi conduzido como análise de dados secundários dos efeitos da síndrome metabólica pré-gravidez. Exames de acompanhamento, incluindo a materna e a prole, foram realizados entre 0 e 2 anos e entre 6 e 11 anos após o parto. Todas as análises foram realizadas usando o SAS para windows, v.9.4. Em todos os testes, foi utilizado o nível de significância de 5% ou o valor p correspondente. Resultados: A prevalência de SM pré-gravidez foi de 9,1%, contribuindo para a ocorrência de LGA, crinaças macrossômicos e prematuros ao nascer. Nossos resultados confirmaram que as mães com SM pré-gestacional apresentaram correlação (p <0,0001) entre a circunferência do quadril, a circunferência da cintura e o peso, levando diretamente a níveis mais elevados (p <0,05) de hipertensão quando comparados aos não-MetS mães. No estudo de acompanhamento mostrou que crianças de mães com idade gestacional pré-gestacional tinham obesidade abdominal aumentada de acordo com o escore z. As crianças que sofrem de síndrome metabólica entre 6 e 11 anos têm 2,09 vezes mais chances de ter obesidade de acordo com a circunferência da cintura (RR = 2,09; IC95% 1,32-3,31) e 51% de chance de serem obesas. Conclusões: A SM pré-gestacional tornou-se importante contribuinte para a ocorrência de desfechos adversos perinatais a curto e longo prazo em mães brasileiras de baixa renda.
Objective: To assess the pre-pregnancy metabolic syndrome (MetS) exposure and its effects on the perinatal outcomes (large-for-gestational age infants, macrosomic and preterm birth) and on short and long-term risk for the development of MetS and metabolic repercussions among offspring of low income population of Brazilian mother. Study design: This unplanned, exploratory analysis includes a cohort of pairs of mother-offspring diagnosed and treated in the Perinatal Diabetes Research Center-University Hospital-UNESP, Brazil from 2004-2011. This study evaluated women with previous gestational diabetes mellitus and the risk of developing type 2 diabetes after 6-11 years after delivery and the data was collected from February 2016 to July 2018. Mothers and infants (n=152) were selected as pairs and a follow up study was conducted as secondary data analysis of the effects of pre-pregnancy MetS. Follow-up examinations, including maternal and offspring were performed at 0-2 years and from 6-11 years after delivery. All analyzes were performed using SAS for windows, v.9.4. In all tests the significance level of 5% or the corresponding p-value was used. Results: The prevalence of pre-pregnancy MetS was 9.1%, a contributor for the occurrence LGA, macrosomic infants and preterm at birth. Our results confirmed that, the pre-pregnancy MetS mothers had correlation (p<0.0001) between the hip circumference, waist circumference and weight which were also directly leading to higher levels (p<0.05) of hypertension as compared to that of non-MetS mothers. Follow-up study showed that children of pre-pregnancy MetS mothers had increased abdominal obesity as per the z score. The children suffering from MetS between 6 to 11 years are 2.09 times more likely to have obesity as per the waist circumference (RR=2.09; 95% CI 1.32-3.31) and 51% chance of being obese. Conclusions: Pre-pregnancy MetS has become an important contributor to the occurrence of adverse perinatal, short and long-term outcomes in low income Brazilian mother.

Descrição

Palavras-chave

Síndrome Metabólica, resultados da gravidez, Grande para idade gestacional, Parto prematuro, Macrossomia, cardiovascular, avaliação, Obesidade, Metabolic Syndrome, pregnancy outcomes, large for gestational age, preterm birth, macrosomia, , assessment, obesity

Como citar