Influência da pravastatina sobre a atividade gelatinolítica da metaloproteinase 2 em ratas prenhes hipertensas

Carregando...
Imagem de Miniatura

Data

2022-11-28

Título da Revista

ISSN da Revista

Título de Volume

Editor

Universidade Estadual Paulista (Unesp)

Resumo

Distúrbios hipertensivos da gestação são as principais causas de mortalidade materna e fetal, sendo caracterizados por elevações da pressão arterial materna e que podem comprometer o desenvolvimento fetal. A patogenia ainda é uma incógnita, porém há teorias de que ocorra diminuição da plasticidade dos vasos da interface materno-fetal, isquemia placentária acompanhada da disfunção endotelial materna. Recentemente, sugere-se que alguns mediadores endógenos podem estar relacionados e que parecem participar da patogenia da hipertensão gestacional, a saber: a diminuição da biodisponibilidade de óxido nítrico (NO) e a atividade elevada das metaloproteinases de matriz extracelular (MMPs). Portanto, esse estudo objetivou avaliar o impacto da pravastatina sobre as MMPs, uma vez que, esta estatina revelou aumentar a biodisponibilidade de NO e apresentou efeitos antioxidantes em modelo experimental de hipertensão gestacional em ratas e não afetou o desenvolvimento fetal. Para atingirmos este objetivo, ratas prenhes foram divididas em quatro grupos: prenhes normotensas (Norm-Preg); prenhes tratadas com pravastatina (Norm-Preg+Prava); prenhes hipertensas (HTN-Preg) e prenhes hipertensivas tratadas com pravastatina (HTN–Preg+Prava). A hipertensão em ratas prenhes foi induzida pelo modelo DOCA-sal. Foi registrado a pressão arterial das ratas, o peso das placentas, bem como foi examinado a atividade gelatinolítica da MMP-2, os metabólitos do NO e balanço redox. Além disso, a fim de avaliarmos a função endotelial das ratas, foi realizada a técnica de reatividade vascular em aorta abdominal. Os principais efeitos da pravastatina observados foram a atenuação da pressão arterial, a diminuição da contração do músculo liso da aorta abdominal com concomitante aumento da vasodilatação no grupo das ratas hipertensas tratadas com pravastatina, nesse grupo também foi observado aumento da biodisponibilidade do NO e diminuição da atividade da MMP-2. Nós concluímos que os efeitos pleiotrópicos associados à pravastatina no tratamento da hipertensão gestacional, preveniu a disfunção vascular e o desbalanço angiogênico
Hypertensive disorders of pregnancy are the main causes of maternal and fetal mortality, characterized by elevations in maternal blood pressure which may compromise fetal development. The pathogenesis is still unknown, but there are theories that there is a decrease in the plasticity of the vessels of the maternal-fetal interface, placental ischemia accompanied by maternal endothelial dysfunction. Recently, it has been suggested that some endogenous mediators may be related and they seem to participate in the pathogenesis of gestational hypertension, namely: the decrease in the bioavailability of nitric oxide (NO) and the high activity of extracellular matrix metalloproteinases (MMPs). Therefore, we aimed to evaluate the impact of pravastatin on MMPs, since this statin has been shown to increase the bioavailability of NO and has provided antioxidant effects in hypertensive pregnant rats without affecting fetal development. To achieve this aim, pregnant rats were divided into four groups: normotensive pregnant (Norm-Preg); pregnant rats treated with pravastatin (Norm-Preg+Prava); hypertensive pregnant rats (HTN-Preg) and hypertensive pregnant rats treated with pravastatin (HTN–Preg+Prava). Hypertension in pregnant rats was induced by the DOCA-salt model. The blood pressure of the rats and placentas and pups weights were recorded, as well as gelatinolytic activity of MMP-2, the metabolites of NO and redox balance were examined. In addition, in order to assess the endothelial function of rats, we performed the technique of vascular reactivity in the abdominal aorta. The main effects of pravastatin observed were the decrease in blood pressure, the decrease of contraction with concomitant increase of vasodilatation in the abdominal aorta in group hypertensive pregnant rats treated with pravastatin, in this group also were observed increase in NO bioavailability and attenuated MMP-2 activity. We conclude that pleiotropic effects associated with pravastatin treatment against hypertension in pregnancy, prevented vascular dysfunction and angiogenic imbalance.

Descrição

Palavras-chave

Hipertensão gestacional, Metaloproteinases, Antioxidante, Pravastatina

Como citar