Avaliação de NETs em pacientes pós-COVID com tromboembolismo

Carregando...
Imagem de Miniatura

Data

2022-12-12

Título da Revista

ISSN da Revista

Título de Volume

Editor

Universidade Estadual Paulista (Unesp)

Resumo

O SARS-CoV-2, vírus responsável pela pandemia de COVID-19 – síndrome respiratória aguda grave, ao infectar o indivíduo, induz a ativação das respostas imunológicas e inflamatória, aumentando a quantidade de células fagocíticas - principalmente neutrófilos (PMN), assim como os níveis de citocinas pró-inflamatórias, tendo como finalidade o enfrentamento viral. No entanto, quando desreguladas, essas citocinas podem causar extensa lesão tecidual devido a indução de uma tempestade inflamatória, podendo levar o indivíduo à óbito. Acredita-se que a liberação das redes extracelulares de neutrófilos (NETs), mecanismo de eliminação de patógenos, estejam relacionadas com o agravamento da doença e formação de trombos. Estudos já demonstraram um aumento na concentração de marcadores específicos de NETs em amostras séricas e purificadas de PMN, assim como em autópsias de indivíduos acometidos pela COVID-19, indicando correlação de severidade e complicações no quadro clínico dos pacientes. Casos de tromboembolismo também se encontraram aumentados na COVID-19, mesmo naqueles indivíduos recebendo tromboprofilaxia e até mesmo em momentos posteriores à infecção aguda pelo SARS-CoV-2, associando a desregulação do estado inflamatório, a ativação plaquetária e o sistema complemento induzidos pelas NETs na COVID-19. Assim, este estudo teve como objetivo avaliar a liberação de NETs por neutrófilos humanos, in vitro, de pacientes pós-COVID que apresentaram ou não eventos tromboembólicos em decorrência da doença. Nossos resultados demonstram que pacientes pós-COVID, que sofreram eventos tromboembólicos devido a COVID-19, liberaram níveis mais elevados de NETs, além de apresentarem diferenças na conformação das redes. Esses resultados sugerem o importante papel modulador das NETs nos processos imunológicos, inflamatórios e vasculares devido à sua presença persistente em pacientes pós-COVID.
SARS-COV-2 induces activation of immune and inflammatory responses, increasing the number of neutrophils (PMN) and levels of pro-inflammatory cytokines with the purpose of viral confront. However, if dysregulated, they cause extensive tissue damage and cytokine storm, which can lead to death. It is believed that the release of neutrophil extracellular traps (NETs), mechanism of pathogen elimination, is related to the worsening of the disease and thrombus formation. Studies demonstrated an increase in specific markers of NETs concentration in serum, blood samples of PMN and autopsies of COVID-19 patients, correlating the severity in COVID-19 clinical outcomes. Cases of thromboembolism were also increased in COVID-19, even after the acute period of infection, associating the inflammatory state and platelet activation dysregulation, induced by NETs in COVID-19. Thus, this study evaluated the presence of NETs of isolated neutrophils in vitro in of post-COVID patients who presented thromboembolic events (T.E.) due to COVID-19. In this study, 3 groups were evaluated: CONTROL – individuals who didn’t have COVID-19, POST-COVID WITHOUT T.E. – post-COVID-19 patients without thromboembolism, and POST-COVID WITH T.E. – post-COVID patients with thromboembolism. NETs were identified in both post-COVID groups, except in the control, and different NET patterns were identified between them. It was showed an increased release of NETs in both COVID groups in comparison with control, and cells from patients without T.E. released more NETs when activated with PMA. These results demonstrated a persistent presence of NETs in post-COVID patients and its strong role of in immunological, inflammatory and vascular processes.

Descrição

Palavras-chave

Neutrófilos, NETs (redes extracelulares de neutrófilos), Imunotrombose, Pós-COVID, COVID-19 (Doença), Tromboembolismo, Tromboinflamação

Como citar