Aplicação de cloreto de cálcio em pré-colheita nos frutos de amoreira-preta 'Tupy'

Carregando...
Imagem de Miniatura

Data

2017-04-10

Orientador

Leonel, Sarita

Coorientador

Pós-graduação

Agronomia (Horticultura) - FCA

Curso de graduação

Título da Revista

ISSN da Revista

Título de Volume

Editor

Universidade Estadual Paulista (Unesp)

Tipo

Tese de doutorado

Direito de acesso

Acesso abertoAcesso Aberto

Resumo

Resumo (português)

O experimento foi realizado na Fazenda Experimental São Manuel, da Faculdade de Ciências Agronômicas da UNESP, Campus de Botucatu (SP), nos anos de 2014 e 2015. Objetivou-se avaliar o efeito da aplicação pré-colheita de cloreto de cálcio (CaCl2) na qualidade de frutos da amoreira preta ‘Tupy’. Foram avaliadas plantas, cujas mudas foram plantadas em 23/06/2009. Conduziram-se seis hastes mais vigorosas, numa área experimental não irrigada, no sistema de espaldeira em T, com dois arames e com 1,2 metros de altura. O espaçamento foi de 0,6 m entre plantas e 4,0 m entrelinhas e a densidade de plantio de 4.166 plantas ha-1. No experimento o delineamento experimental adotado foi de blocos casualizados em fatorial 4 x 3, sendo o primeiro fator correspondente às concentrações de cloreto de cálcio (0; 1,5; 3 e 4,5 %) e o segundo aos números de aplicações (1, 2 e 3 aplicações). A fase fenológica adotada para a primeira aplicação do cloreto de cálcio foi dos frutos verdes em início de inchamento e ainda aderidos aos restos florais. Quando realizada mais de uma aplicação, havia um intervalo de cinco dias entre uma e outra. Foram realizadas avaliações físicas, físico-químicas, bioquímicas e enzimáticas nos frutos. Os níveis de Ca+2 foram aferidos nas folhas antes e após as aplicações com CaCl2 e nos frutos logo que realizada a colheita. A aplicação de CaCl2 em pré-colheita, na concentração de 4,5 %, quando os frutos estavam na fase fenológica de inchamento dos frutos com restos florais, promove menor perda de massa, maior firmeza e conteúdo de ácido ascórbico em amoras-pretas ‘Tupy’. Maiores concentrações de CaCl2 promovem decréscimo dos teores de açúcares solúveis redutores e totais, atividade antioxidante e polifenóis totais.

Resumo (inglês)

The objective of this experiment was to evaluate the effect of pre-harvest application of calcium chloride (CaCl2) on 'Tupy' blackberry fruits, which was carried out at the São Manuel Experimental Farm, at the Faculty of Agronomic Sciences of UNESP, Botucatu Campus (SP), in the years 2014 and 2015. As the fruits of the black mulberry 'Tupy' plants were evaluated, whose seedlings were planted on 06/23/2009. Six more vigorous stems were conducted in a non-irrigated experimental area in the T-tier system with two wires and 1,2 meters in height. The spacing was 0,6 m between plants and 4,0 m between rows and the planting density of 4,166 plants ha-1. In the experiment, the experimental design was a randomized block in factorial 4 x 3, the first factor corresponding to the concentrations of calcium chloride (0, 1,5, 3 and 4,5 %) and the second to the numbers of applications (1, 2 and 3 applications). The phonological phase adopted for the first application of calcium chloride was of the green fruits at the beginning of swelling and still adhered to the flower remains. When more than one application was performed, there was an interval of five days between one application and another. Physical, physicochemical, biochemical and enzymatic evaluations were performed on the fruits. The levels of Ca+2 were measured in the leaves before and after the applications with CaCl2 and in the fruits as soon as the harvest was carried out. The application of pre-harvest CaCl2, at a concentration of 4,5 %, when fruits were in the phonological stage of fruit swelling with floral remains, promotes lower weight loss, higher firmness and ascorbic acid content in blackberries ‘Tupy’. Higher concentrations of CaCl2 promote reduction of soluble and total soluble sugars, antioxidant activity and total polyphenols.

Descrição

Idioma

Português

Como citar

Itens relacionados