Comportamento de genótipos de alface com o alelo mo10 ao Lettuce mosaic virus e Lettuce mottle virus

Carregando...
Imagem de Miniatura

Data

2014-08-19

Orientador

Sakate, Renate Krause

Coorientador

Pós-graduação

Agronomia (Proteção de Plantas) - FCA

Curso de graduação

Título da Revista

ISSN da Revista

Título de Volume

Editor

Universidade Estadual Paulista (Unesp)

Tipo

Dissertação de mestrado

Direito de acesso

Acesso abertoAcesso Aberto

Resumo

Resumo (inglês)

Lettuce (Lactuca sativa L.) belongs to the Asteraceae family and is one of the most consumed vegetables in Brazil. One of the major disease problems in this crop are plant viruses, especially the Lettuce mosaic virus (LMV) that cause losses to producers in various regions of the country, but also Lettuce mottle virus (LeMoV). As a form of control, the use of resistant varieties is the most effective way to overcome the damage caused by plant viruses. Most of the resistant varieties of lettuce makes the use of recessive genes, mostly involved in plant-virus interactions and characterized as eukaryotic translation initiation factor (eIFs). Thus, this study aimed to evaluate two lettuce genotypes (169501 and 169501C) for resistance to LMV and LeMoV. LMV and LeMoV were sap transmitted at different time of intervals. For LMV also transmissions with aphids were carried out. The two varieties tested were resistant to LMV in both forms of transmission, but showed symptoms when inoculated with LeMoV. In RT-PCR with specific primers, LMV was not detected but LeMoV yes, confirming the infection in the inoculated plants. The isolate of LMV used in the tests was not classified as belonging to subgroups Most ...

Resumo (português)

A alface (Lactuca sativa L.), pertencente à família Asteraceae, é uma das hortaliças mais consumidas no Brasil. Um dos principais problemas fitossanitários para essa cultura são as fitoviroses, em especial o Lettuce mosaic virus (LMV), que causa elevados prejuízos aos produtores em diversas regiões do país, além do Lettuce mottle virus (LeMoV), que vem crescendo em importância nos últimos anos. Como forma de controle, o uso de variedades resistentes é maneira mais eficaz de contornar os danos causados por vírus. Na maioria das variedades resistentes de alface faz-se o uso de genes recessivos, em sua maioria envolvidos na interação planta-vírus, são os chamados codificadores de fatores de iniciação de tradução eucarióticos (eIFs). Diante disso, este trabalho teve como objetivo avaliar dois genótipos de alface (169501 e 169501C), quanto a resistência ao LMV e ao LeMoV. Foram realizadas transmissões via extrato vegetal nos dois genótipos de alface com LMV e LeMoV em diferentes intervalos de tempo. Para LMV também foram realizadas transmissões por afídeos. As duas variedades testadas se mostraram resistentes ao LMV nas duas formas de transmissão, mas apresentaram sintomas quando inoculadas com LeMoV. Em reações de RT-PCR com oligonucleotídeos específicos, foram comprovadas a ausência de LMV e a infecção por LeMoV nas plantas inoculadas. O isolado de LMV após análise do sequenciamento da porção N’ terminal da ...

Descrição

Idioma

Português

Como citar

SUZUKI, Gerson Shinya. Comportamento de genótipos de alface com o alelo mo10 ao Lettuce mosaic virus e Lettuce mottle virus. 2014. vi, 34 f. Dissertação (mestrado) - Universidade Estadual Paulista, Faculdade de Ciências Agronômicas de Botucatu, 2014.

Itens relacionados

Financiadores