Resistência de genótipos de batata, Solanum spp., a afídeos (Homoptera: Aphididae) e influência sobre parasitóides

Carregando...
Imagem de Miniatura

Data

1999-12-01

Orientador

Coorientador

Pós-graduação

Curso de graduação

Título da Revista

ISSN da Revista

Título de Volume

Editor

Sociedade Entomológica do Brasil

Tipo

Artigo

Direito de acesso

Acesso abertoAcesso Aberto

Resumo

Resumo (português)

Avaliou-se a resistência de genótipos de batata aos afídeos Myzus persicae (Sulz.), Macrosiphum euphorbiae (Thomas) e Aphis gossypii (Glover), e a influência desses genótipos sobre parasitóides, em dois ensaios em plantios de inverno (1996 e 1997), em condições de campo, em Jaboticabal, SP. Os genótipos plantados no primeiro ano foram: Achat, Baronesa, Bintje, BR-2, Contenda, Monalisa, N 140-201 e NYL 235-4, distribuídos em quatro blocos ao acaso. Dois levantamentos foram efetuados, aos 70 e 85 dias após o plantio, avaliando-se o número de pulgões/folha e pulgões parasitados, nos terços superior, médio e inferior da planta. em 1997 plantaram-se os mesmos genótipos, excetuando-se o N 140-201, com levantamentos aos 72 e 80 dias. O genótipo NYL 235-4 mostrou-se suscetível a M. euphorbiae, sob infestações médias de 2,90 (1996) e 1,19 pulgões/folha (1997); dentre as cultivares comerciais, Baronesa foi a menos atacada por M. persicae (0,12 e 0,10 pulgões/folha em 1996 e 1997), enquanto BR-2 foi bem suscetível (1,10 e 0,66 pulgões/folha). Os afídeos ocorreram em maior população nas partes média e inferior das plantas; maior número de pulgões mumificados por Aphidius ervi Hal. e Diaretiella rapae (McIntosh), com parasitismo variando de 15 a 36%, foi observado em NYL 235-4, que foi o genótipo mais infestado pelos afídeos.

Resumo (inglês)

The resistance of potato genotypes to the aphids Myzus persicae (Sulz.), Macrosiphum euphorbiae (Thomas) and Aphis gossypii (Glover) and the influence of these genotypes on parasitoids were evaluated in field conditions, in 1996 and 1997, in Jaboticabal, SP. The genotypes planted in the first year were: Achat, Baronesa, Bintje, BR-2, Contenda, Monalisa, N 140-201 and NYL 235-4, distributed in a randomized block design with four replications. Two surveys were made at the 70th and the 85th day after planting, by counting the number of aphids/leaf and calculating the proportion of parasited aphids, in the upper, medium and low thirds of the plant. In 1997 the same genotypes were planted (except for N 140-201), with surveys at the 72th and the 80th day a.p. The genotype NYL 235-4 was susceptible to M. euphorbiae, under the medium infestations of 2.90 (1996) and 1.19 aphids/leaf (1997); among the commercial cultivars, Baronesa was one of the least attacked by M. persicae (0.12 and 0.10 aphids/leaf in 1996 and 1997), while BR-2 was very susceptible (1.10 and 0.66 aphids/leaf). The largest population of the aphids was found in the medium and low parts of the plants; a higher number of aphids attacked by Aphidius ervi Hal. and Diaretiella rapae (McIntosh) was observed in NYL 235-4, in which there was a larger infestation of aphids, with parasitism varying from 15 to 36%.

Descrição

Idioma

Português

Como citar

Anais da Sociedade Entomológica do Brasil. Sociedade Entomológica do Brasil, v. 28, n. 4, p. 721-728, 1999.

Itens relacionados

Financiadores