As vogais na diacronia do português: uma interpretação fonológica de três momentos da história da língua

Carregando...
Imagem de Miniatura

Data

2014-06-06

Título da Revista

ISSN da Revista

Título de Volume

Editor

Universidade Estadual Paulista (Unesp)

Resumo

A proposta do presente estudo é fornecer um quadro diacrônico das vogais do português a partir da observação de três momentos da história da língua: séculos XIII, XV e XVI. Serviram de corpora a esta pesquisa as Cantigas de Santa Maria (CSM) de Afonso X (século XIII), o Cancioneiro Geral (CG) de Garcia de Resende (século XV) e Os Lusíadas de Camões (século XVI). A metodologia adotada neste estudo consistiu, essencialmente, no mapeamento e na análise das rimas e da grafia empregadas nas obras referidas. Sabendo que as rimas dos textos poéticos podem fornecer pistas importantes sobre as antigas pronúncias da língua, que não deixaram registros orais, investigamos as possibilidades e impossibilidades de rima, nos corpora abordados, com o intuito de obter informações sobre a realização fonética das vogais tônicas e postônicas do português de antanho. No caso das vogais pretônicas, que não são contempladas pelas rimas poéticas, buscamos, na escrita da época, os vestígios das pronúncias do passado. Por meio deste trabalho, foi possível obter dados relevantes acerca das vogais tônicas, pretônicas e postônicas do galego-português, do português médio e do português moderno. Com relação às vogais da sílaba acentuada, as rimas das CSM não apenas atestam uma distinção de timbre entre as vogais médias do século XIII como também evidenciam uma mudança na pronúncia da vogal tônica de determinados vocábulos, ao longo da história da língua. Já as rimas do CG e de Os Lusíadas sugerem que essa mudança teve origem, muito provavelmente, em variações fonéticas dos séculos XV e XVI, entre vogais médias abertas e fechadas, na sílaba acentuada. Para as vogais pretônicas do passado, a grafia empregada nas três obras poéticas analisadas sugere a ocorrência de uma considerável variação fonética entre as vogais médias e altas do português antigo. Por fim, sobre...
The aim of this study is to provide a diachronic framework of the Portuguese vowels, from the observation of three moments in the history of language: 13th, 15th and 16th centuries. The research corpora comprises the Cantigas de Santa Maria (CSM), by Alfonso X (13th century), the Cancioneiro Geral (CG), by Garcia de Resende (15th century), and Os Lusíadas, by Camões (16th century). The methodology adopted in this study consisted primarily in mapping and analysing the rhymes and spelling employed in these literary texts. From the analyses of the possibilities and impossibilities of rhyme, in the corpora considered, it was possible to obtain important evidences about the phonetic realization of the stressed and post-tonic vowels in the past of the Portuguese. Concerning the pretonic vowels, which are not covered by the poetic rhymes, this research sought, at writing of that time, the traces of the old pronunciation. Through this work, it was possible to obtain interesting data about the stressed, pretonic and post-tonic vowels of the Old, Middle and Modern Portuguese. Concerning the vowels of the stressed syllable, the rhymes of the CSM showed a distinction between open and closed mid vowels in the 13th century and, moreover, suggested a change in the pronunciation of the stressed vowel of some words, throughout the history of language. According to the rhymes of the CG and of Os Lusíadas, this change originated in variations of the 15th and 16th centuries, between open and closed mid vowels in stressed syllables. For the pretonic vowels, the spelling used in the three literary texts analyzed suggests the occurrence of a considerable phonetic variation between mid and high vowels of the ancient Portuguese. Finally, on the post-tonic vowels of 13th, 15th and 16th centuries, the data of this study also indicates a possible variation between mid and high vowels, but the rhymes and the spelling used in...

Descrição

Palavras-chave

Linguística, Língua portuguesa, Língua portuguesa - História, Língua portuguesa - Fonética, Portuguese language

Como citar

FONTE, Juliana Simões. As vogais na diacronia do português: uma interpretação fonológica de três momentos da história da língua. 2014. 351 f. Tese (Doutorado) - Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho, Faculdade de Ciencias e Letras (Campus de Araraquara), 2014.