Caracterização histoquímica do colágeno e expressão de MMP-2, MMP-9 e TIMP-1 nas endometrites crônicas das éguas

Carregando...
Imagem de Miniatura

Data

2006-03-03

Título da Revista

ISSN da Revista

Título de Volume

Editor

Universidade Estadual Paulista (Unesp)

Resumo

O presente trabalho teve por objetivos avaliar os graus de fibrose endometrial das éguas, especificando por técnicas histoquímicas os tipos de colágeno e sua proporção nas lesões crônicas, além de verificar por método imunoistoquímico a expressão e distribuição das metaloproteinases (MMP) 2 e 9 e um dos seus inibidores - TIMP-1 - nos processos crônicos endometriais. Foram utilizadas 82 biópsias endometriais classificadas histologicamente de acordo com Kenney e Doig (1986) e segundo as definições de Ricketts & Alonso (1991) para endometrite crônica infiltrativa e endometrose. A avaliação do colágeno foi realizada pelos métodos histoquímicos Tricrômico de Masson, Reticulina e Picrosirius Red. Estudo morfométrico da fibrose periglandular foi realizado utilizando-se a técnica histoquímica do Picrosirius Red. Os resultados mostraram que nos endométrios portadores de endometrite severa há deposição de colágeno do tipo III e do tipo I, sendo este predominante. Não houve diferença significativa na extensão da fibrose periglandular entre as endometrites crônicas infiltrativas e endometroses. Tanto no endométrio hígido como nas endometrites crônicas foi observada imuno-reatividade para as enzimas estudadas. A reação imunoistoquímica para MMP-2 foi localizada no epitélio luminal, glandular, parede vascular e células estromais. MMP-9 e TIMP-1 mostraram marcação mais difusa, sendo também observadas nas células inflamatórias e endoteliais.
The aim of this study was to evaluate the degrees of endometrial fibrosis in mares, specifying the types of collagen in the chronical lesions and its ratio by histochemical analysis and, the expression and distribution of matrix metalloproteinases (MMP) 2, -9 and one of its inhibitors - TIMP-1 - in the endometrial chronic processes by means of immunohistochemistry. Eighty-two biopsies of chronic endometritis were classified according to Kenney and Doig (1986) and definitions of Ricketts & Alonso (1991) for chronic infiltrative endometritis and endometrosis. The collagen evaluation was made by Massonþs trichrome, Reticulin and Picrosirius Red staining methods. The endometrial periglandular fibrosis morfometric analysis was carried out by using Picrosirius Red stained slides. Deposition of type III collagen and type I collagen was seen in severe endometritis with type I predominance. The chronic infiltrative endometritis and endometrosis didn't show significant difference in the extension of periglandular fibrosis. Immunoreactivity of MMP-2, MMP-9 and TIMP-1 was detected in healthy endometrium as in severe chronic endometritis. The luminal epithelium, glandular epithelium, vascular wall and stromal cells expressed MMP-2. MMP-9 and TIMP-1 had shown diffuser marking, and were as well observed in the inflammatory cells and the endothelium.

Descrição

Palavras-chave

Patologia veterinaria, Egua, Endometrio, Colageno, Fibrose endometrial, Endometrial fibrosis, Endometritis, Collagen

Como citar

PORTO, Camila Dias. Caracterização histoquímica do colágeno e expressão de MMP-2, MMP-9 e TIMP-1 nas endometrites crônicas das éguas. 2006. 101 f. Dissertação (mestrado) - Universidade Estadual Paulista, Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia, 2006.