Tekoá Mirim: terra indígena Mbyá Guarani

Carregando...
Imagem de Miniatura

Data

2015-03-23

Título da Revista

ISSN da Revista

Título de Volume

Editor

Universidade Estadual Paulista (Unesp)

Resumo

It is intended in this work, give visibility to the socio-cosmological, cultural motivations, thus justifying the dynamics of displacement and spatial occupation of a Mbyá Guarani group, in addition to questioning the etnohistóricos processes that justify the authenticity as the occupation realized that the territory in question ie the Indigenous Land Tekoá Mirim. In this way, the reflections contained in this paper will refer, the analyzes performed on the fact that the Mbyá Guarani to establish the Tekoá Mirim, did so in full implementation of line with its mythology / cosmology and its everyday practice, which dialogically derived of relations with the surrounding society. Also check the performance of state institutions to this situation, which can be found, that the legislation that guides suffers from a deep and incomprehensible contradiction, as to what concerns the guarantee of the rights of indigenous peoples in Brazil, above all, when defining the issues related to IT, and the possession thereof by the respective people who use the millennia. In this sense, therefore, it can be revealed that over the centuries, the contact relationships have changed little, the result in refusal to admit that people with other worldviews, space and time and other customs and traditions can coexist in space understood and classified in different ways compared to those standardized by the surrounding society
Pretende-se neste trabalho, dar visibilidade às motivações sociocosmológicas, culturais, portanto, que justificam a dinâmica de deslocamento e ocupação espacial de um grupo Mbyá Guarani, além de problematizar os processos etnohistóricos que justificam a autenticidade quanto à ocupação que concretizaram do território em questão, ou seja, da Terra Indígena Tekoá Mirim. Desta maneira, as reflexões contidas nesta dissertação irão se referir, às análises executadas sobre o fato de que os Mbyá Guarani ao estabelecerem a Tekoá Mirim, o fizeram em execução plena de consonância com a sua mitologia/cosmologia e com a sua práxis cotidiana, que de maneira dialógica, derivada das relações estabelecidas com a sociedade envolvente. Também se verificará a atuação das instâncias do Estado diante desta situação, podendo ser constatado, que a legislação que a norteia, padece de uma profunda e ininteligível contradição, em relação ao que diz respeito à garantia dos direitos dos povos indígenas no Brasil, sobretudo, quando definem as questões relacionadas às TIs, e a posse das mesmas pelos respectivos povos que milenarmente as utilizam. Nesse sentido, portanto, pode ser revelado que no decorrer dos séculos, as relações de contato pouco mudaram, fruto da recusa em se admitir que povos com outras visões de mundo, de espaço e de tempo e com outros costumes e tradições possam coexistir em espaços compreendidos e classificados de maneiras diferentes em relação àquelas padronizadas pela sociedade envolvente

Descrição

Palavras-chave

Etnologia, Nativos, Indios, Meio ambiente, Antropologia, Ethnology

Como citar

MARTINS, Fábio do Espírito Santo. Tekoá Mirim: terra indígena Mbyá Guarani. 2015. 127 f. Dissertação (mestrado) - Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho, Faculdade de Ciencias e Letras (Campus de Araraquara), 2015.