Potencial distribuição de espécies de plantas invasoras no bioma Cerrado com as mudanças climáticas

Carregando...
Imagem de Miniatura

Data

2022-07-08

Título da Revista

ISSN da Revista

Título de Volume

Editor

Universidade Estadual Paulista (Unesp)

Resumo

A invasão de espécies exóticas é um dos contribuintes para a diminuição da biodiversidade nativa, além de trazer outros inúmeros problemas ambientais e econômicos. As mudanças climáticas podem alterar o regime de distribuição das espécies invasoras e aumentar os danos causados por elas. No estudo, foi utilizada a Modelagem de Nicho Ecológico para ver os possíveis locais de estabelecimento, das 39 espécies, estudadas dentro no bioma Cerrado no cenário atual e futuro. Para isso foi feita a limpeza dos dados e padronização das variáveis ambientais utilizadas, que foram os dados de entrada para o Maxent, utilizando 10% dos dados como testes escolhidos de forma aleatória. Após isso foi feita a soma dos mapas e análises estatísticas e dos resultados. No geral, a distribuição das espécies invasoras não indicaram uma mudança significativa entre o cenário atual e futuro, contudo espera-se que haja o aumento na distribuição dos arbustos e diminuição das árvores, gramíneas e dos subarbustos. Olhando a distribuição de todas as espécies juntas é possível observar que os cenários, atual e futuro de mudanças climáticas, a ocupação por espécies exóticas é de 100% do Cerrado, porém com diminuição na riqueza na parte sudeste e centro-oeste e aumento da riqueza principalmente nos estados do Maranhão e Tocantins. O modelo sugere uma adequação maior para a invasão de espécies exóticas na parte sudeste e centrooeste do Cerrado. Além disso, os teste internos do modelo mostraram que as variáveis que mais contribuíram para a distribuição das espécies foi a sazonalidade de temperatura (Bio4) e o uso do solo. Aconselha-se que gestores concentrem as iniciativas de controle e monitoramento na parte sudeste e centro-oeste e faça um plano de prevenção na região norte e nordeste para evitar o invasão de novas espécies exóticas.
The invasion of exotic species is one of the biggest contributors to the decrease of native biodiversity, in addition to bringing countless other environmental and economic problems. Climate changes can alter the distribution regime of invasive species and increase the damage caused by them. In the study, the environmental niche model was used to see the possible places of establishment, of the 39 species, studied within the Cerrado biome in the current and future scenario. For this, the data was cleaned and the environmental variables used were standardized, which were the input data for Maxent, using 10% of the data as tests chosen at random. After that, the sum of the maps, statistical analyzes and the results was made. Overall, the distribution of invasive species did not indicate a significant change between the current and future scenario, however it is expected that there will be an increase in the distribution of shrubs and a decrease in trees, grasses and subshrubs. Looking at the distribution of all species together, it is possible to observe that, in both scenarios, the occupation by exotic species is 100% of the Cerrado, but with a decrease in richness in the Southeast and Midwest and an increase mainly in the states of Maranhão and Tocantins. The model suggests a greater suitability for the invasion of exotic species in the southeastern and central-western part of the Cerrado. In addition, the internal tests of the model showed that the variables that most contributed to the distribution of species were the seasonality of temperature (Bio4) and land use. It is advised that managers focus control and monitoring initiatives in the Southeast and Midwest and make a prevention plan in the North and Northeast to avoid the invasion of new exotic species.

Descrição

Palavras-chave

Espécies exóticas, Espécies Invasoras, Modelagem de Nicho Climático, Riqueza de espécies exóticas, Mudanças Climáticas, Exotic species, Invasive Species, Environmental Niche Model, Richness of exotic species, Climate changes

Como citar