Traços do surrealismo na composição de A Torre da Barbela, de Ruben A

Carregando...
Imagem de Miniatura

Data

2017-02-10

Título da Revista

ISSN da Revista

Título de Volume

Editor

Universidade Estadual Paulista (Unesp)

Resumo

The story of A Torre da Barbela (1966), by Ruben A., brings a rich narrative about a tower that became a national monument while the narrative takes place. A caretaker lives in the tower, he is also its guide and receives tourists daily. However, what is unaware for the common people is the reality of the place at night: after dusk, eight centuries of generations of the Barbela family come out of their graves to inhabit the tower. A surrealist aesthetic comes from this narrative background, mainly, from the concepts of supra reality and authentic self, a narrator's analysis, thinking in its different instances, the relationship between reality and fiction and the face of the historical romance as well as its face as a Portugal's allegory. This paper proposes, in a first moment of its extent, to analyze the aspects of the surrealist aesthetic in the Portuguese novel A Torre da Barbela (1966), by Ruben A. Additionally, it proposes a brief analysis about the narrator of this novel, followed by a discussion of the relationship between reality and fiction that are present in its narrative fabric. For this analysis, it was essential to read Carlos Gomes (1995), especially André Breton (1924-19299) and Alejo Carpentier (1928). For the analysis of the narrator, it was mainly used authors like Maria Célia Leonel (2000), Wayne Booth (1980) and Oscar Tacca (1983). As for the relationship between reality and fiction, the concepts analyzed were proposed by Wolfgang Iser (1996) and Roland Barthes (1972). The final discussion on the historical face of the novel, proposed observations analyzed by Maria de Fatima Marinho (2012). Looking to achieve these goals, the surrealist aspects of Ruben A. novel were analyzed, reaching the conclusion that he was governed both by the surrealist revolt and the supra reality proposed by Breton. In addition, the Knight character was parsed from the authentic self... (Complete abstract eletronic access below)
O enredo de A Torre da Barbela (1966), de Ruben A., traz uma riquíssima narrativa sobre uma Torre que, no tempo em que transcorre a narrativa, se tornou monumento nacional. Nela vive um caseiro que também é seu guia e recebe turistas diariamente. Contudo, o que o senso comum desconhece é a realidade noturna do local: durante as noites, oito séculos de gerações da família Barbela saem de suas valas e habitam a Torre. Sobre esse tecido narrativo, entra a estética surrealista a partir, principalmente, dos conceitos de suprarrealidade e eu autêntico, uma análise do narrador, pensando nas suas diferentes instâncias, das relações entre a realidade e a ficção e da face histórica do romance, bem como a sua face como alegoria de Portugal. O presente trabalho propôs, em um primeiro momento de sua extensão, analisar os aspectos da estética surrealista no romance português A Torre da Barbela (1966), de Ruben A. Além disso, propôs-se uma breve análise acerca do narrador desse romance, seguida de uma discussão das relações entre realidade e ficção presentes em seu tecido narrativo. Para a presente análise, foi imprescindível a leitura de Carlos Gomes (1995), sobretudo de André Breton (1924-19299) e de Alejo Carpentier (1928). Para a análise do narrador, foram utilizados, principalmente, os autores Maria Célia Leonel (2000), Wayne Booth (1980) e Oscar Tacca (1983). Quanto às relações entre realidade e ficção, foram analisados os conceitos propostos por Wolfgang Iser (1996) e Roland Barthes (1972). Já para a discussão final acerca da face histórica do romance, foram analisadas as observações propostas no ensaio de Maria de Fátima Marinho (2012). A partir dos objetivos traçados, os aspectos surrealistas no romance de Ruben A. foram analisados, chegando a conclusão de que ele é regido tanto pelas revoltas surrealistas quanto pela suprarrealidade proposta por... (Resumo completo, clicar acesso eletrônico abaixo)

Descrição

Palavras-chave

A., Ruben 1920-1975 A torre da Barbela (1966), Surrealismo (Literatura), Literatura, Literatura - Historia e critica, Literature

Como citar

BOZZO, Gabriela Cristina Borborema. Traços do surrealismo na composição de A Torre da Barbela, de Ruben A. 2016. 1 CD-ROM. Trabalho de conclusão de curso (bacharelado - Letras) - Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho, Faculdade de Ciências e Letras (Campus de Araraquara), 2016.