A comemoração de uma memória: o cinquentenário do Cerco da Lapa/PR (1894-1944)

Carregando...
Imagem de Miniatura

Data

2012-12-12

Título da Revista

ISSN da Revista

Título de Volume

Editor

Universidade Estadual Paulista (Unesp)

Resumo

O que e por que comemorar? Esse questionamento está presente na interpretação que este artigo propõe sobre a Comemoração do Cinquentenário do Cerco da Lapa, episódio da chamada Revolução Federalista, celebrado em 1944, nas cidades de Curitiba e Lapa. Problematiza-se a celebração cívica com base na atuação de David Carneiro, um dos representantes da inteligência paranaense do século XX. O tema ao qual Carneiro mais se dedicou foi a Revolução Federalista, e acabou por tornar-se referência no assunto. Ele foi um dos principais idealizadores do evento, festejado durante a Segunda Guerra Mundial. Naquela ocasião, comemorou-se uma memória, a dos defensores da “unidade nacional”. Entre excessos e insuficiências de memória, o General Gomes Carneiro foi alçado a símbolo da juventude que deveria se unir aos Aliados e contribuir para a “solidariedade continental”. A experiência do passado do acontecimento militar é reinterpretada em função de um novo conflito.

Descrição

Palavras-chave

História, escrita da história., David Carneiro. Revolução Federalista. História do Paraná. Comemoração. Memória

Como citar

Patrimônio e Memória, v. 8, n. 2, p. 111-127.

Coleções